Objectivo do Blog

Sou mãe de uma menina que nasceu em Dezembro de 2009, o meu maior tesouro!
A minha filha apresenta comportamentos um pouco diferentes do comum para a idade, compatíveis com a Perturbação do Espectro Autista.

Este blog tem como objectivo a troca de informações com pais que estejam em situação semelhante.
Juntos encontraremos mais respostas pras nossas dúvidas e poderemos obter uma ideia melhor da evolução esperada para cada caso. Participem!

31 de dezembro de 2012

De mal a pior...


Como se não bastasse a obsessão por desenhos animados agora a pulga descobriu outra coisa muito excitante!!!
Em casa não larga a televisão e os DVDs, na casa da minha sogra não larga os computadores dos primos, que  lhe mostraram aquela maravilhosa e inesgotável fonte de videos e imagens giras...

Mas não se ficou por aí!!! Aquela cabecinha curiosa descobriu que os primos se divertem a atirar pássaros contra porcos!

Quuuuuuê??????
"Angry birds" minhas caras amigas "Angry birds"!!!

Ontem, em casa, disse-lhe que íamos almoçar a casa da avó, ela dá um pulo do sofá e diz muito depressa:
- NINA VAI MATÁ PÓCOS!!!

- Óh valha-me Deus que tenho uma assassina de porcos em casa!

Chegamos a casa da minha sogra e ela nem na cozinha entrou, foi como uma flecha ter ao quarto da "matança"!

Chegada a hora do almoço fui chamar o "pessoal" para vir almoçar, ela estava no colo do tio a atirar a passarada contra os pobres porcos, e quando não conseguia passar de nível dizia:
- óh não, o póco vai rir!

Isto realmente só visto porque contado quase não dá pra crer!!!

- Acabaram os jogos! - vamos lá que a comida já está pronta - disse eu!
Solta-me ela esta pérola:

- MÃE TÁS A COMIDA PÁKÍ


Além destes episódios com os jogos, (que não tenciono deixar ir muito longe), há três coisas que me estão a preocupar realmente - há uma semana que ela não dorme a sesta e mesmo assim vai prá cama à hora do costume, ou seja, está acordada das 9 da manhã às 22.30h. A hiperactividade está do pior e agora quando a contrario não só puxa o vômito como vomita mesmo...

Espero que com o regresso à escolinha e à rotina diária ela acalme... bolas!


27 de dezembro de 2012

E esta hein???

Ao telemóvel com a madrinha da piolha (que ficou em minha casa a tomar conta dela porque o infantário está fechado):
- fogo... não sei que filme é que ela quer ver, já meti sei lá quantos e ela está sempre a dizer que não é aquele que quer! Qual é o "pépépá"?
- é o Peter Pan!!! :)

Passado um bocado liga de novo:
- Olha ela está-me a pedir qualquer coisa mas eu não estou a perceber. Vou-lhe passar o telemóvel!
(quê!!! penso eu... deixa lá que ela vai-me mesmo conseguir dizer o que quer...)
Mas lá tento eu:
- olá princesa - diz-me lá o que queres?
E NÃO É QUE ELA ME RESPONDE!!!
ela - mãe queo bouos!
- não percebo! quais macaquinhos queres?
ela - não mãe! queo bouos!
- queres bolos?
ela - bouos!
- bolos da vó Guida?
ela - chim vó Guida!
- óh amor os bolos já acabaram (queria daqueles bolinhos achatados que tem açúcar branco em cima)
- olha tem barritas de cereais queres?
ela - não! Queo baicas de chocoate
- está bem! -dá o telemóvel à madrinha
- tou
- olha dá-lhe uma barrita de kinder chocolate.

E esta hein!
2013 promete!



24 de dezembro de 2012

Pequenos presentes!

Nestes últimos dias a piolhita tem-me presenteado com saídas fantásticas!
Finalmente está a ganhar curiosidade e já começa a fazer perguntas:
- ouve um barulho:
ela - "quem tá aí?"
- Vê que o pai não está na cama e pergunta:
ela - "on tá pai?"
- Estou a vestí-la e diz:
ela - "on vamos?"
- respondo que não vamos sair, vamos ficar em casa e ela responde prontamente:
ela - não! vamos ó shopim!

:)

Na sexta-feira foi ao circo com os meninos do infantário, quando a fui buscar vinha muito chatita, talvez por estar cansada e não me respondeu se gostou ou não do circo.
Mas no sábado de manhã quando acordou voltei a falar do circo e, além de me ter dito que gostou ainda me disse que viu um "paiaço" (palhaço) e um "ião" (leão) e que "o ião tava peso" fiquei radiante!

Ontem passou a tarde com o pai porque fui sair com umas amigas, quando cheguei ainda estava acordada e  não queria que saísse do pé dela um segundo, disse-lhe que ia só vestir o pijama e ela:
ela - nina chola (menina chora)
- não choras nada que eu já venho prá tua beira!
- quando regresso ela pede colinho cheia de mimo e larga esta pérola:
ela - o pai bateu na nina!
- ai sim! Então tu fizeste alguma asneira!
pai - pois fez - deitou água no sofã!
- Tú molhaste o sofã???
ela - moaste... e vem dar-me beijos, muuuuuuuuuuitos beijos!!!

Além destas coisas maravilhosas também deixou a chupeta e as fraldas de noite!

YESSSSSSSSSSSS

30 de novembro de 2012

Electroencefalograma urgente


Fiquei triste quando a terapeuta da fala me disse que numa das sessões a Tatiana desligou completamente... estava convencida que isso tinha deixado de acontecer, porque este ano ainda não me tinha apercebido de nenhuma situação dessas.

Por isso imaginem o choque que foi quando as técnicas da intervenção precoce me disseram que a Tatiana tem ausências cognitivas sistemáticas...

No relátorio delas consta o seguinte:
“A grande preocupação observada pelas docentes de intervenção precoce aquando da avaliação da Tatiana reside essencialmente nos períodos de ausência que a criança manifesta, sistematicamente, de 8 em 8 minutos sensivelmente. Nestes momentos, a Tatiana pára o que está a fazer e fica de olhar fixo cerca de 3-4 segundos retomando a tarefa de seguida.”

- Como é que eu não me apercebi?
... não consigo deixar de pensar que fui desatenta e irresponsável... sou mãe... tenho obrigação de ver estas coisas... bolas...

Se realmente ela tem crises assim sistemáticas coitadinha da minha piolha... como é que há-de conseguir acompanhar as actividades do dia-a-dia e desenvolver-se como deve ser... imagino a confusão que irá às vezes na cabecinha dela...

Já falei com a Dr. Alda que pediu um novo electroencefalograma com urgência.

E se o electroencefalograma volta a não acusar nada???

Estou sem vontade de escrever, ainda por cima este assunto lembra-me a minha tia que faleceu recentemente...

Deixo-vos apenas uma explicação acerca deste tipo de epilepsia:
"Uma crise de ausência provoca uma perda de consciência, que é geralmente muito breve – menos de 30 segundos - e quase imperceptível. A pessoa simplesmente pára de se mover ou falar, olha para a frente sem expressão, e não responde ao que lhe perguntam. A apreensão é tão curta e difícil até mesmo perceber que uma pessoa pode ter 50 ou 100 crises de ausência por dia, sem serem detectados. Quando a crise acaba, a pessoa volta a suas atividades normais, sem perceber que algo aconteceu. Porque uma criança com epilepsia de ausência pode ter muitas convulsões breves durante o dia escolar, o distúrbio pode interferir seriamente com a sua capacidade de prestar atenção e participar na aula. Por esta razão, um professor pode ser o primeiro adulto a perceber que algo está errado. Se o professor não está familiarizado com crises de ausência, pode queixar-se que a criança não está a prestar atenção ou parece estar a sonhar acordada."
Fonte: http://o.canbler.com/topico/epilepsia/crises-de-ausencia-petit-mal-convulsoes


23 de novembro de 2012

Potenciais Evocados Auditivos

Correu muito bem o exame:
Tínhamos indicações para, no dia anterior, a adormecermos o mais tarde possível e para a acordarmos mais cedo que o habitual.

Para ela foi uma alegria adormecer tarde, é sempre uma guerra na hora de ir dormir!
Imaginem que só "aterrou" às 3 da manhã, sem qualquer pressão da nossa parte!

Acordamo-la por volta das 7, isso é que custou, mas teve que ser.

Ainda passei pelo gabinete e fui à câmara entregar uns processos com ela, depois fomos até ao Parque Nascente, consolou-se de brincar na casinha, mais uma vez verifiquei que já tenta interagir mais com os amiguinhos, pede-lhes que corram atrás dela e os que aceitaram até se divertiram a correr uns atrás dos outros...

Almoçamos lá e fomos para o H.S.João, entrou já a querer fechar os olhos, de tão ensonada que estava.
Colaram-lhe umas coisinhas em pontos estratégicos da cabeça, que estavam ligadas a um aparelho através duns fios, e colocaram-lhe um fones nos ouvidos. Ela nem reclamou tal era o cansaço.

No final a técnica, muito simpática, disse-nos que se esperássemos o médico falava logo connosco e era escusado marcar um consulta só para saber os resultados, e assim foi.
O médico atendeu-nos algum tempo depois - disse que estava tudo bem e que qualquer um de nós não tinha umas curvas tão bonitas como as que viu no exame dela.

Assim temos a certeza!

... a "bichinha" só ouve mal quando lhe apetece...



Últimas III

A prepará-la para dormir:
- vamos lá por a fralda
ela - não! queo cueca!
- queres dormir de cueca? E não fazes xixi na cama?
ela - não xixi!
- de certeza?
ela - ceteza!

e cumpriu!!!
...

De manhã:
ouço: prrrrrrrroooooooooooocccccccccccc
- ui, o que foi isso?
ela - acer um pú muuuuuuuuuuto nanne!

Deu-me cá uma vontade de rir!
...

Enquanto a calçava vejo-a a tirar um "macaco" do nariz:
- háááá!!! Não metas à boca! Isso é cáca! Dou-te uma sapatada!
Pego num lenço e limpo-a...
Passados uns minutos vejo-a novamente com o dedo no nariz, tira outro "macaco" e fica a olhar pra ele, de repente olha para mim e antes que eu pudesse impedi-la - zumba - mete-o à boca!

Arre coisa feia!!!
...

Olha fixamente para os meus olhos e diz: "olhos"
- são bonitos os meus olhos?
ela: muto munitos!
- os teus também são muito bonitos queres ver?
ela - ver
- vê aqui pelo espelho - são muito bonitos os teus olhos!
ela - muto munitos!
...

Aponta para um sinal na minha pele e diz: "doi-doi!"
- não é um doi-doi amor, chama-se sinal. Tu também tens sinais queres ver?
ela - ver!
- tens um aqui no braço vês!
ela - vês!
- e outro aqui na perna - tens 1...2 sinais!
ela - dois sinais!
...



A descoberta do "choque"!!!

Estava a preparar o jantar, entretanto oiço a piolha a gritar/chorar aflita, dou uma corrida e vejo-a agarrada à mão...
-Que foi amor, que acontecer? Perguntei, mas ela só chorava...

De repente olho pró lado e vejo que as luzes da árvore de Natal estavam desligadas - estranho - olho para a ficha e vejo-a metida - estranho - não é que a sacanica tinha arrancado os fios de dentro da caixinha que dá pra colocarmos os diferentes "piscas"!!! Ou seja levou um grande CHOQUE numa mão!

Lá lhe expliquei que era por isso que não queria que ela mexe-se na árvore de Natal e que agora a árvore ia ficar sem luzinhas porque ela as tinha estragado!

Quando o pai chegou a casa lembrei-a para lhe dizer o que tinha acontecido, ela estica-lhe a mão (a que não teve nada) e com cara de queixinha diz "choque uzinhas"...

E pronto... ficou a árvore sem bolas e agora sem luzes... vá lá que ainda não se virou prás fitas...


19 de novembro de 2012

Pequenas grandes conquistas!

Hoje faço minhas as palavras da Rainbow mum:

Para quem tem um filho "típico" isto pode não parecer nada de especial, mas tendo em conta que a minha filha está a alguns dias de completar 3 anos. Para mim, te-la ouvido responder a perguntas que não pressupunham uma recompensa ou um objetivo, foi das coisas mais marcantes até hoje, é que começava a ser complicado explicar porque é que ela nunca respondia (nem sequer olhava) quando falavam com ela...

- Estava super atrasada e com montes de sacos pra levar pró carro, por isso pedi à piolha que levasse a mochila da piscina, ela foi andando para fora e de repente ouço uma vizinha:


- “olá, vais prá escolinha?

e eis que oiço a piolha responder bem alto “vais”!!!

- “Podes com a mochila ou queres que te ajude?

Ela – “muto pesado” e dá-lhe a mochila.

Nisto eu saio e digo-lhe – “diz à senhora onde vais hoje

E ela “piscina”!!!


Esta a ficar tão “típica” a minha bonequinha!!!


:-)

15 de novembro de 2012

Tanta emoção!

A piolha passou de 8 para 80!!!

Ainda me lembro de escrever no blog da Rainbow Mum, emocionada, que não via a hora da minha filha me olhar, me dar um beijo, me abraçar (isto aos 27meses)...

Agora passa a vida a dizer “mãe xí apetado, xí apetado” e agarra-se a mim como uma lapa enquanto diz um prolongado Xíiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
Na cama agarra-se a mim e aperta-me com força toda contente e dá-me a cara para lhe dar montes de beijos.
Se vir algum amiguinho a chorar vai dar-lhe um beijinho (também faz isso a um criança que não conheça de lado nenhum).

Está muito sentimental, então com os desenhos animados é um exagero mesmo – já tive que desligar o DVD a meio de dois filmes (Horton e o Mundo dos Quem e o Spirit) porque ela chorava tanto que até tremia. No infantário também já tiveram que trocar o mesmo filme (Spirit) tal era o pranto – até me vieram contar que nunca a tinham visto assim... os meninos coitados ficaram desgostosos.

Ontem quando a fui buscar, ela vinha com um livro na mão, chegou ao pé de mim e disse “xico uico bisão”, o livro tinha a historinha do Chicken little e ela estava a dizer-me que queria vê-lo na televisão (tenho o DVD).

Mal saiu do carro começou logo “xico uico bisão” a repetir, a repetir, e eu a dizer “está bem calma”... é uma coisa um bocado irritante, ela não se cala até lhe fazermos a vontade!

Lá meti o DVD, passado um bocado lá começa ela “hó não, xico uico tá tiste...” e começa a fazer beicinha... “hó Tatiana calma, tu já sabes que vai ficar tudo bem não é!!!”...

Passado mais um bocado “mãe... xico uico tá tiste... xico uico tá tiste...”depois noutra cena agarra-se a mim... "mãe, poco tá peso, hó não... poco tá peso”... (o porco tá preso)

Agora quando tenho um filme novo tenho que o ver antes, para me certificar que não tem cenas tristes e mesmo assim... no último Madagáscar não vi nada de mais, e ela fez um pranto enorme quando o Melman ia cair ao Vulcão...

É que nem é preciso haverem falas, ela reconhece perfeitamente as expressões faciais dos personagens.

Nas cenas de maior suspense também é muito engraçada - esconde-se atrás das minhas pernas e fica a espreitar de lá para a televisão, ou então, quando é um filme que já sabe de cor e salteado, na cena assustadora tapa a cara com as mãos e fica a espreitar pelas aberturas dos dedos. É só visto!!!

As Técnicas de intervenção precoce acharam isso muito interessante e até perguntaram se eu já tinha referido esse pormenor à médica que a segue, porque nas PEA há muita dificuldade em expressar sentimentos e principalmente em reconhece-los nos outros.

Mais um bom sinal ;)




10 de novembro de 2012

Novidades: Prof. de Ensino Especial


Hoje foi a reunião com as técnicas que vieram avaliar a piolhita. Correu muitíssimo bem e serviu essencialmente para clarificar a minha cabeça e para me dar dicas sobre coisas a trabalhar com a minha filhota.
Quando me disseram no infantário, há um mês atrás +/- ,que a prof. de ensino especial já vinha, fiquei toda contente, mas no dia de apresentação a suposta professora disse-me que pra já era só para fazer a avaliação, ora eu fiquei com a ideia que a piolha teria que primeiro ser avaliada para depois verem se se justificava ou não a vinda duma professora.
Estava errada! A senhora É mesmo a professora de ensino especial, por isso é que tem passado as sextas-feiras de manhã com ela (e eu a pensar que estava difícil chegarem a uma conclusão lol).
Afinal a coisa funciona assim (pelo que entendi claro): Quando uma criança tem algum atraso no desenvolvimento pode ser referenciada para intervenção precoce mesmo que não tenha nenhum atestado médico, só que nesses casos tem que ser avaliada e só depois de entregue e analisado o processo é que atribuem ou não uma professora de ensino especial e os outros apoios. Agora, quando é uma criança que já tem um atestado médico como a minha filha – de perturbação do espectro do autismo – automaticamente tem logo direito à professora (lá está... a médica no S. João disse que queria MESMO que ela tivesse acompanhamento o mais precocemente possível).
Apesar do atestado, as técnicas tem que fazer na mesma uma avaliação, mas que apenas vai servir para traçar o plano de intervenção, ou seja detectar as dificuldades a trabalhar.
As técnicas foram simpatiquíssimas comigo e com a educadora, estivemos a responder a um questionário e a conversar (das 9 à 12.30), para mim foi altamente instrutivo!
O pior de tudo foi ouvir que verificaram que a piolha tem muitos períodos de ausência, são segundos, mas muito seguidos, +/-  de 10 em 10 minutos, até cronometraram... disseram que tenho que voltar a referir isso no H.S.J., porque epilepsia ou não tem que se ver o que se passa :(
Outras coisas que foram faladas:
- de como a piolha era quando foi referenciada (o desinteresse total pelos outros, o som repetitivo hummm hummm, a agressividade, etc) e como tinha evoluído entretanto.
- que a piolha é muito sentimental – emociona-se ao ver cenas tristes num filme, perante um amiguinho que está a chorar ou perante uma situação de injustiça (não é habitual uma criança com PEA ter esse tipo de sensibilidade).
- que o “caso” é tão leve que com ajuda (casa, escola e terapeutas) vai com certeza superar as dificuldades (ouvir isto foi pra mim uma explosão de felicidade!)
- que efetivamente ela não tem a menor noção do perigo e não entende o conceito - estranho/amigo.
- que não devo desculpar tudo com as dificuldades dela, ou seja tenho que ser mais exigente – fazê-la pedir o que quer formando uma pequena frase– pô-la a lavar as mãos/cara, baixar as calças e cuequita pra fazer xixi, puxar depois pra cima etc etc etc, nem que para tal tenha que utilizar recompensas.
- que a piolha gosta de conhecer sítios novos e aceita quando impomos mudanças na rotina, mas quando está sozinha noto que faz as coisas sempre pela mesma ordem – fui aconselhada a contrariar essa "tendencia".
Falamos de imensas coisas mais, tudo muito positivo, que a piolha está a melhorar na interação com os amiguinhos, que ela sabe muitas palavras,  que é muito afetuosa – uma das técnicas até contou que na última sexta feira que esteve com ela, quando disse que tinha que se ir embora, ela agarrou-a e disse “não embola”...

As áreas a trabalhar são a interação social e a comunicação, claro... e acho que está muito bem entregue!


8 de novembro de 2012

Passeio no shoping

Está tão diferente o amor da minha vida!
Ontem fui buscá-la ao infantário e quando chegamos a casa dei-lhe logo a sopa porque queríamos dar um salto ao shoping.
- come a sopa que vamos ao shoping!
ela - shopim... shopim

Fez um xixi no pote e lá fomos, arrisquei não por a fralda e correu tudo bem.

Ela adora o shoping porque passamos sempre pela área da "casinha".
Agora já vai bem de mão dada, de vez em quando lá dá uma corrida desenfreada, mas já reage se a chamarmos, isso é maravilhoso!

- sabes... vamos comprar um computador!
ela - putador?
- sim, como o da tia Cláudia  assim vais puder ver a "larva" em casa! (são uns desenhos animados tolos, mas ela adora).
ela - putador! putador! aos saltos

Portou-se super lindamente!
Lá tivemos que ir buscar uns nuggets ao Mc Donalds e umas batatas pra molhar no "kexup", o que a cachopa gosta de ketchup!!!
Depois fomos à "casinha", ela tirou a botas e foi brincar, não tinha nenhuma criança, mas depois veio uma menina - pela primeira vez ví a minha filha a interagir com outra criança por iniciativa própria:
a menina estava a subir os degrausitos da casinha mas com dificuldades, e ela reparou - chegou-se ao pé dela estendeu-lhe a mão e disse-lhe "ajuda menina"... tão fofa!!! Fiquei derretida!!!

Quando íamos pra casa ela viu o comboio, (daqueles que se mete 1 euro e dá umas voltas sobre uns carris) e quis andar, eu disse que não tinha moedas, pra ir pedir ao pai...
Nem foi preciso repetir, ela deu uma corrida pra alcançar o meu marido e começou-lhe a meter as mão nos bolsos - "que queres" perguntou! e ela "moedas"!!!
Pegou o euro, correu novamente pró comboio, meteu-a na ranhura e lá foi ela!!!

Muito bom!!!

31 de outubro de 2012

Dificuldades (34 meses)

- Tatiana tens frio?
ela - ...
- TATIANA queres que vista o casaco?
ela - ...
- HEEEEEEEEIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!!! Tens frio? Queres o casaco?
ela - não mãe...

Uma vizinha:
- Olá, como te chamas?
ela - ...
- dás-me um beijinho?
(nem sequer olha...)
- Estás muito bonita, quem te deu essas botas?
ela - ...
- onde vais?
ela - ...
- Vais a casa da tua avó?
ela - ...
- Queres um rebuçado?
ela - xim buçado!!!
- então dá-me um beijinho..
... e ela dá o beijinho...

No supermercado:
- não corras! Espera por mim!
ela - olha mãe ito, ito olha ito, ito, olha ito.... (enquanto segue, apressada, eléctrica a tocar em tudo que lhe aparece pela frente)
- não mexas! não podes abrir...
ela - nina pome (menina come)
- está bem mas temos que pagar primeiro!
ela - mãe abe! abe, abe, abe abe... (abre)
- TATIANA primeiro pagar alí naquela menina!!!

Em casa:
(anda à minha procura, encontra-me e começa:
ela - mãe mãe mãe mãe mãe
- diz amor!
ela - mãe mãe mãe mãe mãe...
(e não consegue dizer ao que veio...)

- Tatiana vamos a casa da vó Guida, quando viermos acabas de ver o filme está bem!
...desligo-lhe a tv...ela deita-se no chão aos prantos... tenho que a levar "arrastada" pró carro...

No carro:
- sabes quem está na casa da avó?
ela - ...
- está lá o primo D.! Gostas do primo?
ela - ...
- Vamos apanhar castanhas?
ela - tanhas!
- estás cheia de sono! Queres ir dormir prá cama da avó?
ela - ...


Em casa da minha sogra:
- vamos dar um beijinho à vó!
(não está prai virada... corre pró pé do primo que está a jogar no computador)
ela - mati, aiex, goria (marti, alex, glória - personagens do filme Madagascar)
- Tatiana o primo está a ver outra coisa!
(amua)

Uma tia chega:
- olha quem está aqui! dás-me um beijo? (agarra-a)
(ela debate-se para se soltar)
- foste prá piscina? Gostaste?
ela - ...
- olha o primo! Vai brincar com ele!
(ela continua a não lhe ligar...)

Chega a tia das maluqueiras (atira-a ao ar, fáz-lhe cocegas, pega às cavalitas etc, etc)
- ó sápa!!!
(ela sorri e corre pra ela, quer começar logo a brincar...)
O pior é que não se cansa e continua a pedir mais e mais... mesmo quando a pessoa já está de rastos...

Em casa:
Pego num livro e começo a contar uma história... ela começa a querer folhear, folhear, anda à minha volta, atira-se pra cima de mim... rí, salta... 
Ainda não consigo que se sente calmamente a ouvir uma história!

De manhã:
Tiro-a da cama, retiro-lhe a fralda e sento-a no pote, pede sempre "bolas" (smarties)
- Então faz xixi que eu dou-te!
Lá faz xixi, limpo-a e coloco-a em cima da cama prá vestir, é sempre uma batalha porque acorda com as baterias bem carregadas, salta sem parar, foge-me pra debaixo do edredom, esperneia...

Luta diária desde que nasceu:
Obrigá-la a andar calçada dentro de casa - finalmente com muitas ameaças e promessas aceitou umas pantufas!



haja paciência (e smarties e pintarolas)!!!


25 de outubro de 2012

Últimas II


(a subir uma cadeira)
Ela – mãe nina xubiu!

(atira-se pró chão de propósito)
Ela – mãe nina caiu

(bate na gata)
Ela – nina bateu

(ao ver-me comer uma pera)
Ela – mãe nina pome (come)

(a comer a última bolacha)
Ela – babou, queo mais!

(a carregar a mochila)
Ela- muto pesado!

(a comer sopa)
Ela – no queo mais, queo chocoate!

(a comer fanecas)
Ela – mãe queo abos (rabos)
- tú gostas dos rabos dos peixes?
Ela – gotas!

(sentada no pote)
Ela – nina acer cocó nanne (menina fazer cocó grande)

(ao deitá-la ponho a tocar musicas calmas pra bebés)
Ela – no queo eta queo patinhos!
Lá troco o CD e começa a musica, ela levanta-se e põe-se a saltar em cima da cama a (tentar) cantar ao mesmo tempo... um espetáculo!!!


...mas a melhor de todas foi esta:
- que desenhos queres que ponha na televisão?
ela: knino enta caixas vede, pai poculá-lo!
(pequenino entra na caixa verde, o pai vai procurá-lo)
Referindo-se ao filme "Selvagem" da Disney, que conta a história dum leãozinho que, por descuido, acaba por ficar preso no reboque dum camião (caixa verde) e é levado para um sítio distante, e das peripécias por que passam o seu pai e amiguinhos na sua incessante busca.

Mais uma vez ela me provou que entende muito bem aquilo que vê!


17 de outubro de 2012

Consulta de Desenvolvimento



Hoje fomos à consulta de desenvolvimento no HSJ, entramos e a doutora começou a falar com a piolha,
- olá Tatiana, bom dia, estás boa... etc
- queres brincar comigo...
(a pequena percorria os olhos pelo consultório sem lhe dar a minima atenção)
- olha, aquela caixa está cheia de brinquedos...
ela - “brinquedos”
- sim, queres ver os brinquedos?
(já ela se dirigia prá caixa em questão, sem nunca ter olhado prá doutora)

Falamos do quanto a ratita tinha evoluido nos últimos meses, das terapias que já estava a ter e da professora de ensino especial que tarda em “aparecer” (se é que vai aparecer)!!!
A doutora ficou admirada quando lhe disse que a comissão de avaliação já tinha passado algumas manhãs com a piolha, mas ainda não tinha sido suficiente...
Disse que não entendia como é que era possível demorar tanto tempo, e acrescentou que só pelo modo como a minha filha entrou no consultório já se via que algo não está bem...
Disse-me que infelizmente os casos mais leves são muitas vezes negligenciados e que era uma pena pois são, na opinião dela, os que mais proveito tiram desse tipo de apoio...

Estou sem esperança nenhuma que atribuam uma professora de ensino especial á minha filhota...

E estou mesmo pra ver de quanto vai ser a comparticipação da Segurança Social para as terapias que ela está a fazer e que eu já estou a pagar...são quase 300,00 euros por mês, fora o infantário...


16 de outubro de 2012

Uau!!!

A piolhita anda sempre com roupa muito prática, umas leggins e uma camisola, ou então fato de treino, e sapatilhas com velcro (e não atacadores).
Lá na creche adoram coisas práticas, mas hoje, como é dia de terapia lembrei-me pô-la mais "chique", só que as sapatilhas que lhe calcei não combinavam lá muito bem...
Fui então buscar uns sapatinhos novos que tinha guardados.

Quando chego ao pé dela, ela olha para eles e diz-me:
- etes muto munitos! (estes muito bonitos)

Fiquei babada, nem estava a acreditar no que tinha acabado de ouvir!

- São muito bonitos, queres leva-los?
ela: tia etes mãe tia (tira estes mãe tira)
- já vou tirar!

Depois de calçar:
- então ficam bem?
ela - xica bem!


15 de outubro de 2012

Saídas da piolha

De manhã, após ter-lhe calçado as sapatilhas:
ela: mãe apeta muto sapato!
- apertam???
ela: tia (tira) mãe... muto apetado!
- está bem, vou desapertar um bocadinho!

Ao sair do infantário ás 19.00h:
ela: olha mãe tá noite!

Em casa, ao olhar prá rua:
ela: mãe tá scuro (escuro)

(estamos há mais de uma semana sem luz pública na nossa zona, parece que o PT "ardeu" e quando temos que sair vamos de lanterna... estes dias até coloquei uma lanterninha de capacete na piolha quando fomos a casa da avó, ela adorou! Talvez por isso ela esteja mais atenta ao dia e à noite.)

Na hora do banho:
- vamos tomar banho de chuveiro?
ela: não mãe, queo nanne (quero na (banheira) grande)
- não, hoje é de chuveiro
ela: não mãe, no queo este!

Ao entrar na água:
ela: mãe tá quente, tá quente!
- não está nada quente!
ela: quente mãe, tá quente!
- está bem, vou por mais fria então.

Estou mesmo muito feliz, ela fala mais e mais a cada dia que passa!
O que aconteceu hoje foi inédito, ela nunca tinha feito este tipo de observações!



11 de outubro de 2012

Finalmente!

Atribuíram à piolhita uma professora de ensino especial. Vão-se conhecer amanhã.

Não é a professora que esperava (uma que tem dado apoio lá na IPSS e de quem a educadora fala maravilhas, tais como ficar com a criança o dia todo quando só recebia por uma manhã)...
Mas espero que esta também seja uma pessoa dedicada, a ver vamos como as coisas vão correr.

E pronto, está o calendário preenchido para este ano lectivo:
Segunda: actividades curriculares + ginástica
Terça: actividades curriculares + terapia da fala (45m) + terapia ocupacional (45m)
Quarta: actividades curriculares + música
Quinta: actividades curriculares + natação
Sexta: actividades com a professora de ensino especial de manhã e actividades curriculares o resto do dia.


4 de outubro de 2012

Epilepsia de Ausência


...de novo este fantasma a atormentar-me a vida...

Na última sessão de terapia da fala (que eu não pude estar presente) a terapeuta apanhou a minha filha completamente ausente, a olhar o infinito e chamou várias vezes por ela... mas ela não reagiu...
Ficou muito preocupada e pediu que eu fosse falar com ela logo que pudesse.
Fui lá à bocado, mas ela não estava, a Dr.ª Marina, que é a dona da clínica, viu-me e veio falar comigo porque já estava ao corrente.
Eu lá expliquei que já conhecia essas ausências, que ela já tinha feito um electroencefalograma para descartar a possibilidade de ser epilepsia, que a neurologista que a segue no S. João disse que ela não tinha epilepsia, que achava que aquelas “distrações” eram típicas da PEA.
A doutora Marina pediu-me o exame para verificar melhor, disse que por vezes é difícil “ler” mas o problema pode estar lá...

Andava tão contente por ter deixado de a ver “ausente”... e agora isto!

Fiquei mesmo triste...

Ainda por cima tenho uma tia (irmã da minha mãe) de quem gosto muito, internada no H. S. João, nos cuidados paliativos...
Desde miúda que ela tem epilepsia e a doença bipolar... e luta à alguns anos contra um tumor no cérebro que a conseguiu derrotar...

Às vezes a vida é tão injusta... essa minha tia é tão nova ainda, uma pessoa fantástica e uma “brasa” duma mulher, linda linda, trabalhou tanto pra ter o que tem...

...para agora acabar assim...


3 de outubro de 2012

Hiperactividade

Esta quarta feira foi o funeral do meu sogro, não tinha com quem deixar a minha filha e acabei por deixá-la ao cuidado de duas vizinhas da minha sogra (ambas na casa dos 60) que se ofereceram para tomar conta da "criancinha".
Uma delas toma conta do neto que tem 4 anos, a outra tomou conta das netas, gémeas, por isso fiquei mais ou menos descansada, afinal era só mesmo na hora do funeral...

Deixei tudo à mão, mudas de roupa, toalhitas, fraldas, chupetas, pelo, meias extra e até chupas...
...e avisei que ela não era fácil...

- vá descansada que a gente tá habituada...

Quando cheguei estavam as duas de cabelos em pé!!!
Uma mal me viu suspirou de alívio e foi embora... a outra virou-se pra mim:
- olhe que eu nunca ví semelhante na minha vida! Eu pensava co meu neto era um terror... ai Senhor!!! Eu até tenho pena de sí! Como é ca menina se arranja com isto em casa, ai que num deve ser fácil!!! A cachopa tem pilhas duracell, a Quinhas até fugiu que num aguentava mais com ela a saltar-lhe pra cima...

Pois... ela não pára! Respondi meia sem jeito... a senhora estava abismada com o "bicho"...

O meu marido só se ria...

Nós estamos tão habituados com ela que até perdemos a noção que existem crianças sossegadinhas...
(suspiro) ... deve ser tão bom...
A minha sala está sempre assustadora... mas já nem me importo... e quando quero 10 minutos de descanso tenho que a por a ver desenhos animados...



2 de outubro de 2012

Sim é ecolalia!

Respondeu-me a terapeuta,
- mas o que importa é que a menina também fala com intenção e muito!!!

Um exemplo:
- não faças mal à kika
ela - kika?
- ela é pequenina
ela- nina?
- queres fazer-lhe festinhas
ela - tinhas?
ela - tinhas, tinhas, tinhas (enquanto passa a mão no pelo da gatinha)
- vês, ela gosta!
ela - gotas?
- olha, vai ver se tem cocós na caixa
(corre a espreitar)
ela - mãe cocós, cocós, impa (limpa)!
- está bem vou já limpar
ela - impar?
- íii que cheiro!
ela - cheio?
- cheira muito mal
ela - muto mal!
- já vais pra cima?
ela - xima!
...
- que é que estás a comer?
ela - bíbí (kiwi)
- Queres cereais?
- ceais?
- Queres ou não?
- xim!
...
ela - mãe xica! (fica)
- queres que fique aqui à tua beira
ela - beia?
- mas eu tenho que ir fazer a papinha!
ela - xica mãe! (e abraça-me)
- está bem
ela - bisão bisão! (quer que ligue a televisão)
- e que desenhos queres ver?
ela - ninho enta caixa vedes (menino entra na caixa verde)
- queres ver os desenhos do menino que entra na caixa verde? ("The Wild" da Disney)
ela - caixa vede?
- é este (faço-me despercebida)
ela - não mãe... ete, ete
- já viste esse tantas vezes! Vamos ver outro.
ela - não outo!!!
- olha este, é tão bonito, é o do cavalo!
ela - não babálo!!!
- está bem chata
ela- chata?
...
- olha quem está alí!
ela - pimo pimo (primo)
ela - couo pimo (colo primo)
- queres colo, mas tú és muito pesada
ela - esada?
(entretanto vê o tio e vai pedi-lhe colo)
ela - couo pimo
- esse não é primo é tio
ela - tio?
ela - couo pimo
- não é primo, é tio
ela - tio?
mas volta a chamar primo...
...
- és uma feia
ela - feia?

Coloquei o sinal de interrogação no final das respostas dela porque é mesmo nesse tom que ela as pronuncia.

É difícil distinguir quando é que ela está com intenção comunicativa (ou até a testar o controle sobre a fala e vóz) ou quando está pura e simplesmente a repetir o que ouve.
A melhor maneira de ter a certeza que é ecolália é dizermos algo que supostamente seria de sancionar por parte da criança e ela não o faz.


1 de outubro de 2012

Foi há um ano que tudo começou...

...a minha filha não era como os outros meninos...

- raramente reagia quando era chamada
- não olhava pra quem falava com ela, nem se interessava em ouvir
- não se interessava por outras crianças
- não brincava como as outras crianças
- não se interessava por comunicar
- não dava beijos, nem abraços, nem fazia xau...
- não se interessava pelas actividades desenvolvidas pela educadora
- passava o tempo isolada e se a importunassem era agressiva.

Eu era apenas a "mão", uma coisa que servia pra lhe chegar o que estava fora do alcance...

Passei um mau bocado, especialmente quando me via rodeada de outras crianças da mesma idade, ver como reagiam e o que já faziam doía muito!

Há sensivelmente três meses a minha princesinha começou a desabrochar, começou a dizer muitas mais palavras, começou a formar pequenas frases, começou a comunicar para além dos seus interesses...
Começou a querer mimínhos, começou a dar beijinhos e xís apertados...

Hoje está tão diferente!

Fica feliz quando vê as pessoas que gosta e corre a dar-lhes beijos e fica triste quando se vão embora.
Está muito sentimental e comove-se ao ver algo triste.
Já me pede que fique ao pé dela a ver televisão e pra brincarmos juntas.
Está um pouco mais calma e já nos ouve mais.
Na escolinha todos estão surpreendidos com os progressos dela e já tenta interagir com os amiguinhos.

Claro que ainda existe um longo caminho a percorrer, mas os meus dias estão bem mais coloridos...



A consulta de Otorrino

Correu bem, tão bem que quase me custou a crer!
A piolha, com a promessa de irmos embora, deixou o doutor ver os ouvidos e abriu a boca, pós a língua de fora e disse aaaaaaaaaaaaaaaaaaá

Aparentemente está tudo bem, mas o doutor pediu mais dois exames complementares: potenciais evocados auditivos e outro, para ter mesmo certeza que está tudo ok.


17 de setembro de 2012

O que aí virá...

Depois de lhe medir a febre:
- "mãe queo emédio, ninha oente"
(mãe quero remédio, menina doente)



A piolha está com febre ligeira à 2 dias (37.8 - 38.3)...

e a avó, que mora ao lado, está com a varicela!!!

O ano passado houve casos na creche, mas ela escapou...

acho que vai ser desta que a vou ver às pintas...


13 de setembro de 2012

Birras e auto-agressão...

São dois temas que me fazem sentir um aperto sufocante no peito...
Tenho acompanhado atentamente alguns blogs e fico desolada por ver o que alguns pais enfrentam, o sentimento de impotencia que sentem... a incompreensão de que são alvos...

Tenho muito receio que isso possa vir a acontecer com a minha filha.
Ela é só uma menina socialmente mais desligada e com um modo de brincar e ser muito próprio...
As birras que fáz, pelo que vejo, parecem-me dentro da normalidade e nem costumam ser por causa de mudanças na rotina dela, isso nunca a incomodou muito porque ela adora explorar coisas e lugares novos.

Não queria que se sentissem magoados comigo, mas gostava de perguntar aos pais que passam por estas situações tão difíceis, a partir de que altura se perceberam que as birras não eram normais.
E as auto-agressões? 


12 de setembro de 2012

Terapia da fala/ocupacional


O início oficial foi ontem, digo oficial porque enquanto aguardávamos a resposta da Segurança Social, a minha filha teve várias sessões (gratuitas) para se familiarizar com o espaço e com as terapeutas.

A terapia da fala correu muitíssimo bem, confesso que fiquei surpresa.
A piolha disse o nome de quase tudo que a terapeuta lhe pôs à frente e era sempre “olha mãe, olha mãe” entusiasmada.
Fui aconselhada a eliminar a chupeta DE VEZ, é que a criatura já tem os "dentes" tortos, e isso está a afectá-la seriamente. Também  não consegue dizer imensas consoantes e tem um tom de voz “esquisito”.
Mas tirando essas dificuldades a terapeuta diz que ela é um “bom caso” porque apesar de se cansar muito rápido da brincadeira, retoma-a e está sempre a querer ver mais e mais coisas, o que é óptimo.

Por exemplo, se a terapeuta lhe mostra um livro com figuras ela folheia-o, passa os olhos pelas imagens num ápice, às vezes, em vez de apontar ela, pega na minha mão e aponta para o que a desperta mais e diz o nome ou então diz “olha mãe” e já quer ver outra folha e mais outra...quando chega ao fim, começa a folhear do início ou já quer outra coisa, mas passado um bocado lá retoma o anterior... e está sempre a querer explorar.

A terapeuta disse-me que uma criança autista não reage como ela reage e que na opinião dela ela tem é síndrome de Asperger...

É a segunda terapeuta que me diz o mesmo!


11 de setembro de 2012

Coisas menos boas

(a alguns dias de completar 33 meses)

Chega ao infantário, entra na sala e dirige-se à zona dos brinquedos, não olha para quem está presente, raramente responde, por iniciativa própria, aos "olás" e aos "bons dias" de auxiliares e educadoras.
Uma das educadoras (que nem é a dela) tem ido ao pé dela pedir um beijinho e dizer-lhe que me diga "até logo" ou "xau"... mas sem grande sucesso e, se a televisão estiver ligada, então é tudo pra esquecer, fica vidrada e nem vê que pode calcar algum menino...

Continua arredia e vai vagueando pela sala sem mostrar grande interesse pelas actividades ou pelos amiguinhos.

Em casa quer ver televisão a toda a hora, é filme atrás de filme, fora isso tem um leque pequeno de interesses, ou pede que corramos atrás dela até à exaustão (nossa, porque ela tem pilhas duracel) ou que a balancemos pelos braços, que a ajudemos a dar saltos grandes em cima da cama, coisas físicas basicamente.
Não se interessa por fazer desenhos, as canetas são pra enfiar num qualquer buraco que encontre...
Livros até folheia e vai dizendo (ou apontando pra nós dizermos) o nome das coisas, mas passado um bocado já está a rasgar as folhas ou a saltar em cima deles...

Ontem esteve uma tia em casa, chegou na hora dos desenhos animados, todas as tentativas de aproximação foram desprezadas, ou guinchava como um porquinho pra ela não a chatear ou dáva-lhe turras para ela a largar e deixar ver os desenhos descansada.

Continua a ter pouca vontade de sair de casa e, quando sai, vejo que faz as coisas pela ordem que fez a primeira vez, ou seja, se vai a casa dos meus pais primeiro vai ver as galinhas, depois vai procurar frutas pra atirar ao tanque, depois vai dar comida aos coelhos, depois vai à cozinha buscar bolachas e depois ao quarto do meu irmão ver as estátuas dos cavalos.

Fora de casa (shoping, supermercado etc) já conseguimos ir de mão dada,  mas se a largarmos corre sem parar, sem preocupação de se perder, se precisar de alguma coisa não hesita em pedir ajuda à primeira pessoa que lhe aparecer (vá lá que já pensa duas vezes quando vai entrar em algum lado e eu lhe digo que lá dentro tem um mau).

Se alguém a aborda ela não liga peva... nem responde a nada, só mesmo se a pessoa tiver algo que lhe interesse e mesmo assim é muito difícil, por norma só tenta agarrar o que quer sem se esforçar por interagir com a pessoa.








10 de setembro de 2012

"Luta mãe - iááááá"


Ainda não vos contei, mas a última vez que fomos ao H. S. João (dia 3 de Setembro), a doutora Alda ficou muito contente e até surpreendida com a evolução da minha grandona (a doutora comenta sempre que ela engana porque é muito grande).

Quando entramos no consultório ela deu de caras com os bonequinhos do filme Madagáscar e foi o delírio total:
- Olha, mãe, olha Marti!
- mãe, mãe a góia (a Glória)

A doutora tinha uma estagiária (penso eu de que) ao pé dela, a quem ela foi mostrar os bonequinhos e tudo.
Perguntei-lhe como se chamava o leão e ela prontamente:
-aiex (Alex)

A doutora fez outras perguntas, mas com outros bonecos que lá tinha, que como não eram de desenhos animados ela não ligou, mas esteve muito bem e até atirou beijos e disse xau à saída.

Então deu-me algumas ideias, dado o interesse exacerbado dela por desenhos animados, para tirar partido deles e a puxar para outras actividades.

Ora de momento ela está na fase "Panda do Kung Fú" e lembrei-me que podíamos tentar um jogo de imitação (foleiro eu sei, mas o objectivo final é que conta)

- Queres lutar como o Panda?
ela - xiiiiiiiiiiiiiiiiim!
- eu sou o mau e tú dás tatau no mau!
(ficou sem saber o que fazer)

Nisto eu digo "iá" e dou-lhe um soquinho na barriga, ela ficou tão contente, e começa iá iá iáááá
a bater-me, de repente calca-me um pé (como fáz o panda ao mau) e começa a rir tão contente!!!

Entendeu o jogo! Mas agora anda sempre atrás de mim "iá, mãe, luta, iá!"

Fomos a casa dos meus pais:
Olha, queres lutar com o avó, como o panda?
ela - iááá bô iááá pumba pumba



O que ela sabe...

... e eu não fazia ideia que ela sabia!

Chegamos a casa, a piolha sai do carro e aproxima-se do estendal da roupa, começa a mexer nas molas e de repente ouço:
_ um
_ dós
- tés
- cuato
- cíco
- seis
- sete

e esta hein!!!

Maravilhosa inocência!

Sai o pai da casa de banho em cuecas...
A piolha aproxima-se... aponta para o "chumaço" e num tom acusador exclama:
- mãe, mãe, CÓCÓ, CÓCÓ!!!



Regresso à escolinha

Correu muito bem!
Em casa dizia "nó quero" quando lhe explicava que as férias iam acabar e que teria que voltar prá escolinha.
Mas no dia correu muito bem, entrou de livre vontade no edifício e já ia a correr prá antiga sala.

- agora não é aí amor, tú já és uma menina grande! Agora vais prá salinha dos meninos grandes... 

Adorou as casas de banho, o aquário que tem na sala, a cozinha em ponto pequeno (com pia da louça a sério e torneira com água) e os brinquedos novos...
Tem ficado sem sequer olhar para trás, noto que continua a ignorar os coleguinhas, velhos e novos... mas tem ficado bem, a explorar os novos brinquedos.

A educadora e auxiliar ficaram admiradíssimas com a evolução dela em apenas 3 semanas!

As férias fizeram-lhe muito bem!



5 de setembro de 2012

Últimas...

ela - mãe "cheia" (mãe cheira) 
ela - "cheia" mau!

eu -  pois cheira mal! tú fizeste cocó!!!

.................................................


Com a foto dum carro dos bombeiros na mão:
ela - mãe paga fumo... (mãe apaga o fumo)
aponta para o carro e diz:
- atú paga fumo! (a água apaga o fumo)

(na semana passada tínhamos estado a ver uns desenhos animados em que começava um incêndio e vinha o carro dos bombeiros para o apagar, eu expliquei-lhe que o carro dos bombeiros tinha água dentro e que deitava água no fogo e no fumo para os apagar... fiquei muito contente por ela se ter lembrado e associado tão bem as coisas).


Se ela estivesse atenta a tudo como está aos desenhos animados!!!


3 de setembro de 2012

Balanço das férias

As férias foram "soft", deram essencialmente pra descansar a cabeça de assuntos de trabalho.
Só apanhamos dois dias bons de praia e não conseguimos concretizar alguns dos planos que tínhamos por causa do tempo foleiro que apanhamos. A piolha esteve sempre bem, adorou a praia da Agudela e eu também fiquei fã, quando a maré está baixa a praia fica cheia de pocinhas maravilhosas e sem perigo pra eles brincarem.
Ficamos alguns dias em casa, com os novos inquilinos, a gatinha Kika e o "bebé knino" da nossa gata Mia, fomos muitas vezes pra casa da minha sogra que é um anjo, esteve na piscina, passeamos bastante, fomos brincar no parque algumas vezes e fomos aos Sealife.
A piolha está a comunicar cada vez mais, a avó até se emocionou ao ouvi-la dizer:
"nó quero este, nó quero este"

Já vai dizendo algumas frases:

- não embola (não vás embora)
- mãe panha ninhã (apanha-me)
- mãe segura
- mãe ninhã xubi (mãe eu subí)
- olha mãe ninhã caiu (mãe eu caí)
- olha mãe bebé knino (mãe olha o bebé pequenino)
- mãe paga úz (mãe apaga a lúz)
- mãe tira zola (mãe tira-me a camisola)
- eu xola (eu choro)
- mãe tá ki pai (mãe o pai está aqui)
- não, meu (não, é meu)
- eu xono (eu tenho sono)
- pumba, pumba, eu bate (pumba pumba eu bato)
- mãe cocós nanne (mãe fiz um cocó grande)


Fui-lhe explicando que não podíamos ficar sempre de férias, que o dinheiro acabava e tínhamos que ir trabalhar pra ganhar mais, acho que ela entente isso perfeitamente, até porque fica muito atenta quando vamos comprar qualquer coisa (eu lembro sempre que temos que pagar para podermos trazer).

Quando hoje lhe disse que tinha que ir trabalhar ela agarrou-me e disse "não, xica ninhã", eu disse que tinha que ser porque já não tinha mais dinheiro pra comprar papinha... pedi-lhe um beijo e lá me deu um beijo conformada com a ideia...

... é a vida dos pobres!!!




8 de agosto de 2012

Tão faladora que ela está!

Ontem chegamos a casa e, enquanto limpava o caixa dos gatos na cave, a piolha ficou lá fora a brincar com a nossa cadela pastor alemão, já deu tanto tombo por causa dela (que também ainda é criança), mas adora-a.
Deixei de as ouvir por uns minutos e fui ver o que estavam a fazer, não as via em lado nenhum - chamei:
- onde estás?
ouço do outro lado da casa:
- tá ki. (sim!!! agora já responde!)

Entretanto entrou e subiu para o rés-do-chão, chega ao cimo das escadas e diz-me:
ela - mãe mãe xima, xima
- queres que te vá abrir a porta? é isso?
ela - aba pota!
Subi a escadaria e abri-lhe a porta...

Entretanto chego à cozinha e vejo-a a mastigar qualquer coisa.
- Que é que tens na boca???
ela - "ubas" mãe!
- uvas...á tá bem...

Ela já tinha ido à sala ligar a televisão e o DVD... de seguida foi ao quarto buscar o cobertorzinho e a chupeta... (é o ritual do dia-a-dia)

Entretanto vou ao pé dela e levo-lhe mais uma gaipinha de uvas:
- queres mais uvas?
ela - não ubas, queijo!
- queres queijo?
ela - chim queijo
Lá fui buscar queijo. É uma coisa que nunca lhe nego e até deixo comer à lambona porque a minha filha não é nada fã de leite e o queijo sempre vai compensando...

- Queres também tostas? perguntei
ela - chim totax


Passados uns minutos
ela - mãe, mãe "átu"
- já levo... ora diz à-g-u-a, à-g-u-a
ela - "átu"

Entretanto mostro-lhe uma camisola que lhe ofereceram
- olha que camisola bonita eu tenho aqui!
ela - xaíca, mãe, xaíca! - diz entusiasmada
- tem o faísca na camisola, tão gira! É minha!
ela - não, minha zola!
- queres a camisola é?
ela - chim minha!

e lá foi com a camisola na mão prá sala, ficou a observá-la... entretanto vem à minha beira e puxa-me pelas calças:
- mãe xaíca, xaíca!

...quis ver outra vez o filme do Faísca McQueen...

Ficou lá na sala e fartou-se de falar sozinha...
Algumas vezes deu-me mesmo a sensação que estava a imitar as falas dos personagens...
ou a responder-lhe... não sei bem

mas estou a adorar!




7 de agosto de 2012

A desafiar!

Como a piolha gosta de ir no carro a ver a "banda", ou melhor, os "miões", "cainhas", "motas" e "totors"* resolvemos tirar o encosto de cabeça e também inclinar ligeiramente o banco da frente, para a vista ficar totalmente desimpedida.
Escusado será dizer que ela adorou!!!

Ontem quando vínhamos da creche dou com ela muito consolada com os pés apoiados em cima do banco...
- tira já daí os pés que estás a sujar o banco!
e começo a dar-lhe palmadas nos pés... achou piada, mas lá tirou os pés.

Hoje de manhã íamos a caminho da creche e vejo-a novamente com os pés em cima do banco:
- tira os pés de cima do banco que está a ficar todo sujo!!!

passado um pouco:
- mãe mãe... pés im xima!
- ai que vais levar uma palmada no rabo

dá uma risada e repete:
- mãe, pés im xima!


olhem-me a pirralha!!!


*camiões, carrinhas, motas e tratores.

6 de agosto de 2012

Está a resultar!

Senta no pote senão desligo a televisão!
ou
Senta no pote que a mãe dá uma bolinha!


Hoje de manhã mais uma vez não queria sentar no pote:
- Anda fazer xixi que a mãe dá uma bolinha, vá lá!
- Queres uma bolinha grande (M&Ms) ou uma pequena (pintarola)?
ela - nande!

Cachopa esperta!!!
Até fáz xixi mais depressa...

3 de agosto de 2012

"Bipócas eu"

Num dos episódios do Tom & Jerry aparece o ratinho a comer pipocas...
Vem a piolha a correr e diz-me "Bipócas eu, bipócas eu"
- Também queres pipocas?
ela - Chim bipócas!!!
Abre o armário e dá-me o saco do milho prás mãos.
- Está bem, vai lá prá sala que a mãe vai fazer pipocas.

Fiquei tão babada por ela ter dito EU que até a deixei comer pipocas antes da sopa...


(para quem não sabe - as crianças com perturbações do espectro autista têm muita dificuldade em falar utilizando a primeira pessoa, por isso dizerem "eu", "meu" e "minha" é sempre uma vitória e indicador de bom prognóstico)

2 de agosto de 2012

Desfralde...

Pois é... até custa a crer mas é verdade, a minha piolha deixou a fralda na creche!
Há mais de 1 mês que não acontecem "acidentes".
Continua a não pedir pra fazer, mas como lá a rotina está muito bem estabelecida, ela adaptou-se e só fáz quando a colocam no pote, ou vai junto com algum coleguinha que tenha pedido pra ir à casa de banho.

Em casa a história é outra... ou eu adivinho que ela tem vondade e obrigo-a a sentar-se no pote ou então fáz em qualquer lado.
Ainda ontem:
- Tatiana queres fazer chichi?
ela - NÃO.
- vá lá senta no pote e fáz chichi!
ela - NÃO.
- se fizeres nas cuecas a mãe vai ficar zangada contigo!
(nem cinco minutos passaram e vejo-a com as pernas abertas a fazer um xixizão gigante no chão da cozinha)
- hó que feia! Então!!! Porque é que não fizeste no pote??? Assim és feia!
ela - FEIA.
- pois és! és feia! tens que fazer no pode! hó que porca!
ela- PÓCA!
- vamos à casa de banho, temos que lavar a pipí e as pernas, que porquica!
ela- PÓQUICA!
- Tens que dizer à mãe quando quiseres fazer!
- olha práqui só xixí, agora tenho que deitar a cueca da Minnie Mouse ó lixo!
ela - NÃO MIKI MAUS...
- está cheia de xixí vai pró lixo!
ela - NÃO LIXO...
- não se faz xixi na cueca, é no pote!

Claro que mesmo assim estou super feliz, é tão bom poder levá-la pra escolinha sem fralda, era a única dos 14 que ainda ia de fralda!





26 de julho de 2012

Bendita Internet

Fiquei rendida!
Este blog é mesmo fantástico! (http://johannaterapeutaocupacional.blogspot.pt)
Agradeço muito à ClaudiaMG pela partilha.

Fiquei a perceber muito melhor o que é a integração sensorial e acho a minha filha tem de facto problemas sensoriais.
Especialmente este, é que a minha filha é mesmo assim! Também é sem dúvida uma Sensory Seeker, respondo SIM a quase todos os pontos!

Hipossensibilidade Vestibular de Movimento:
- pouca noção do perigo e adora parques de diversão.
- fica constantemente em movimentos pular,correr,saltitar.
- A criança não percebe e não sente a sensação de queda e perigo.
- a criança desconhece a sensação de cair e não se protege a si mesmo.
- Pouca noção do equilibrio dinâmico. Pouca reação protetora de braço.
- criança está sempre a cair e com vários machucados. Quedas frequentes

(ela não cai muito, fáz é tangentes ao correr e por isso dá muitas vezes cabeçadas nos móveis, não salta à vista porque ela não chora...).

Sensory seekers (crianças que buscam sensações):
-Gosta de girar
-Sobe em coisas muito altas
-Sobe em tudo
-Tromba nas coisas (pessoas, móveis, parede)
-Coloca a boca/lambe coisas não comestíveis (móveis, brinquedos, corpo)
-Mastiga coisas não comestíveis
-Come excessivamente
-Constantemente luta com os irmãos/outras crianças
-Toca em tudo
-Brinca com a comida
-Faz bagunça para comer (
é trapalhona a meter à boca)
-Enche muito a boca com comida
-Come comidas apimentadas ou condimentadas
-Pouca resposta à dor (esquece rapidamente dela)
-Joga todos os brinquedos pra fora da caixa só pra olhar pra eles
-Gosta muito de brincar com lama, água, sabão, e outras coisas bem sensoriais
-Pula muito
-Gosta de andar descalço
-Mastiga a escova de dentes
-Não consegue ficar sentado quietinho na cadeira
-Cai da cadeira sem razão aparente
-Procura barulhos altos (aumenta o som da tv, coloca brinquedos barulhentos próximos ao ouvido, gosta de secador de cabelo, aspirador de pó, etc)
-Não consegue regular bem o próprio volume (você diz constantemente “pare de gritar”)
Buscando Sensações Sensoriais Vestibular
- Adora parque de diversões
- Descrito como hiperativo - sempre a correr, pular e saltitar
- Envolve-se em balançar ou movimentos rítmicos
- Dificuldade de ficar sentado
- salto, intenso movimento, inclusive posições de cabeça para baixo
-Adora gangorras, trampolins,cama elástica e cambalhotas mais do que outras crianças
- Parece que não consegue ficar parado


*     *     *     *     *
Actividades proprioceptivas:

A minha filha adora meter-se debaixo dos assentos dos sofás, enrolar-se nos cobertores, estar dentro do saco cama e tenda de campismo e que lhe atiremos as almofadas todas pra cima, ou seja gosta de sentir toque e peso! – graças ao blog descobri ela gosta de actividades proprioceptivas - atividades que envolvem toque profundo ou pressão profunda como lugares apertados, almofadas, puff ou travesseiros - ajudam na organização do comportamento e concentração.

A minha piolha ia adorar estas sensações:
P
A pressão profunda pode ser altamente benéfica para algumas crianças com autismo,Transtorno de processamento sensorial, TDAH e outros distúrbios neurológicos.Com base na técnica de integração sensorial de pressão profunda proporciona a criança uma maior informação inconsciente dos músculos e das articulações.O peso adicional ou pressão pode ajudar a melhorar a integração das informações sensoriais. Como resultado, a criança pode se tornar mais organizada,calma e melhorar a sua capacidade de se concentrar no jogo, na aprendizagem.

Cabana suspensa (estimulo vestibular e proprioceptivo) sensações para acalmar o comportamento.

Rede (estimulo vestibular) para acalmar o comportamento e aumentar o nivel de alerta.

Enrolar o edredon pressão profunda e passar a bola em cima do corpo com toque profundo para acalmar a criança.
Deitar ou sentar em várias almofadas ajudam acalmar e organizar o comportamento.
Saco de Bolas - sensação tátil e proprioceptiva para acalmar e organizar o comportamento.
Dentro de uma caixa de papelão ou plástico com almofadas.Lugares apertados ajudam acalmar e organizar o comportamento.

Isto já faço em minha casa e ela adooooooooora:
Também adora que a deixe assim suspensa, fazemos isto no parque:

No blog tem ainda uma infinidade de ideias que podemos por em prática mesmo em casa:
Placa de esferovite e palitos pintados:
Picar em linha reta:
Fazer cadeado de clipes:
Berlindes:
Cereais, palitos de espetadas e plasticina:
Bolinhas gelatinosas
Feijões:
Picar uvas passas
Pauzinhos de gelado coloridos - separar por cores:
Massa e uma caixa de cartão:
Separar molas por cores:

Ontem experimentamos a caixinha surpresa, fui buscar a piscina insuflável dela pra evitar que o chão ficasse imundo e correu muito bem, primeiro coloquei feijões e escondi lá no meio um ovinho surpresa com pintarolas dentro, ela metia a mão e tentava encontrá-lo, a recompensa era uma pintarola, depois experimentei arroz, depois massas, depois açucar e depois espuma, ela gostou muito! Não experimentei nada com consistencia de pápa que é o que ela não gosta, mas logo que tenha oportunidade experimento.
Também experimentei isto na hora do banho, ela adorou o funil claro!



24 de julho de 2012

Look de verão


Como referi na mensagem anterior, a minha filha é muitíssimo sensível à luz do sol, tapa os olhos com as mãos e procura fugir da claridade (ela tem os olhinhos verdes).
O ideal era que usasse uns óculos de sol, mas por eu achar que ia deitar dinheiro fora ainda não tinha arriscado comprar-lhe uns.
Então comecei a fazer um bocado de teatro quando a ia levar e buscar à creche, de modo a incutir-lhe a ideia de que os óculos protegem os olhos e fazem bem.
"ai tanto sol, ui ca mãe tem muito sol nos olhinhos, tenho que por os óculos... há que bom assim já posso abrir os olhos, háaaa assim já tou melhor"
Passados uns dias perguntei-lhe se queria uns óculos como a mãe e o pai e ela respondeu-me com um sim muito entusiasmado!
Aproveitei logo o lance e fomos à Well's ver óculos de sol, ela portou-se tão bem que eu fiquei de queixo caído, mas na mesma com a ideia que ia ser dinheiro deitado ao lixo...

No caminho pró carro já não os quis colocar, mas quando a meti no carro, ela pediu-mos!!! E esta hein!!!
Ontem íamos a sair de casa e ela "ócus, ócus". Fui buscá-la à creche e voltou a pedi-los!
Hoje de manhã, ia pedrada de sono e com um tau daqueles, (porque acordou às 3 da manhã e passou a madrugada toda acordada) e não é que não saiu de casa sem eu lhe colocar os ditos cujos!
Estou pasma!!!
Ela compreendeu (e viu na prática) que com óculos enfrenta melhor o sol, mas é engraçado que não tem ainda o sentido de vaidade, (se é que crianças com esta idade já têm... não faço ideia) é que se eu  lhe disser pra mostrar os óculos novos a alguém ou para os colocar pra alguém ver, ela não os deixa pôr nem liga peva que lhe digam que são bonitos.




20 de julho de 2012

A minha princesa com 31 meses

A comunicação melhorou muitíssimo, já nos responde mais vezes e até sobre coisas fora dos interesses dela.
Se vir alguma coisa na rua que lhe desperte atenção, uma camião, uma mota, um pássaro, um cão etc... já se vira para nós e diz o nome e às vezes até acrescenta "olha mãe..."
Exemplo: queres ir ver os cãezinhos?
ela responde "chim cãezinhos" (repete sempre a última palavra)

As maiores diferenças em relação a outras crianças da mesma idade é que quase sempre ignora quando alguém a chama, não responde a perguntas básicas do género "como te chamas?, gostas de X?"
Não tem interesse nenhum em ouvir o que as pessoas tem pra lhe dizer, nem gosta que a agarrem.
Não tem vontade nenhuma em comunicar, se ela quisesse já podia ter grandes conversas, porque já diz uma infinidade de palavras, mas só fala quando tem interesse nisso ou quando lhe apetece...
Se lhe disserem "Olha tenho uma coisa pra tí, anda aqui ver, é uma coisa boa, anda aqui! (ela não vai) Mas se disserem "olha uma goma" queres, ela olha e vai logo buscar.

Às vezes vou ao pé dela e faço-lhe uma pergunta super básica, fico alí ao pé dela a repetir a pergunta a ver se me responde e nada... ela mantem-se na dela, nem pra mim olha... é isso que me custa mais.

Com alguma insistência nossa já diz xau, até amanhã e atira beijinhos.
Se a deixamos em casa de alguém, não se preocupa com a nossa ausência, vai logo explorar a casa, mexer nas coisas, sem dar importância às pessoas presentes. Se quiser alguma coisa que esteja fora do alcance dela, pega na mão da pessoa mais próxima (familiar ou desconhecida) e leva-a ao que pretende (podia falar, mas a maior parte das vezes diz "mão"), desenrasca-se bem, mas sem qualquer noção de pessoa estranha. Se tem outras crianças presentes, ela observa-as, e pode fazer as mesmas brincadeiras, mas sem interagir. Por norma prefere brincar à maneira dela. Tem brincadeiras fora do comum, gosta de deixar cair coisas - no chão, na água, num buraco...

Já olha nos olhos pessoas mais chegadas, com outros continua esquiva, como se não lhe interessassem (acho que não lhe interessam mesmo).
A memória visual dela parece-me ser excelente, numa clínica andou em montes de corredores, mas soube bem como se saía (coisa em que eu sou um desastre).É boa a fazer puzzles, passa os olhos na peça e fixa logo.
Adora ver as sombras das pessoas projetadas no chão, coisas brilhantes, bolas de sabão e brincar com água.
Exemplo: um dia esteve no quarto um tempão felicíssima a tentar apanhar algo do ar - eram partículas de pó que brilhavam com os raios de sol.

Se estivermos num sítio com muitos barulhos é muito difícil conseguirmos que nos preste atenção, mas não se assusta e consegue divertir-se na mesma.
Já não chora quando cantamos os parabéns, quer é soprar logo a vela, está o pessoal a cantar e ela aos berros agarrada a mim sópppppppppa, sóóóppppppppa, pra eu chegar o bolo pró pé dela.
Gosta de música e até já tenta cantar e dançar, ao cantar é engraçada porque parece que está a falar, tem pouca musicalidade, gosta de soprar a flauta e o apito.
Come muitíssimo bem, e até é receptiva a provar coisas novas, desde que não tenham consistência de papa (moles), mete-lhe nojo, quando são papas temos que forçar para que prove e se gostar do sabor então lá come. Gosta de cebola, de ketchup picante e se deixarmos come casca de ovo e arroz e massa crua...
Não gosta muito de ter as mãos sujas, especialmente se for algo pegajoso ou mole.
Exemplo: numa consulta de desenvolvimento deram-lhe prá mão uma bola gelatinosa e ela começou logo a puxar o vómito.
Gosta de andar descalça e nua, de se enrolar nos cobertores, de abraços apertados, de cocegas e de massagens nos pés.
De jogar à apanhada e ao esconde-esconde.
Gosta de perfumes e de cheirar flores e outras coisas.
Tem alguma insensibilidades à dor e muito pouca noção de perigo.
É muitíssimo sensível à claridade do sol, tapa os olhos com as mãos e procura fugir da luz.
Às vezes vamos no carro e começa a rir, mas não sei porquê...
Gosta de experiências novas e reage muito bem a alterações nas rotinas do dia-a-dia, principalmente se lhe explicarmos o que vamos fazer. Reage mal é quando dizemos que vamos a um sítio, e esquecemos de dizer que primeiro ainda vamos parar noutro...
Já só fáz o som (hummmm, hummmm, hummmm) enquanto come. Mas continua a andar em bicos de pés, principalmente em sítios onde se sente menos confortável.
Felizmente não tem grandes birras e conseguimos facilmente desviar a atenção dela pra outra coisa.
Continua apegada ao cobertorzinho peludo e à chupeta... estamos a tentar tirar esta última, por causa dos dentes...
Gosta de observar coisas novas e fica muitas vezes absorvida nos seus pensamentos, são os seus momentos off... e não vale a pena chamar, nem falar com ela porque está noutra...
Já sabe ligar a televisão, o DVD, carregar no play e mexer no rato pra ver imagens no computador.
Ao ver desenhos animados já nos diz o que vai acontecer a seguir, se vem o urso, o mau, o passarinho etc
Consegue ligar os cenários animados à realidade, fomos ver o mar e ela lembrou-se que era a casa do golfinho.

há aqui um padrão... há... mas estamos no bom caminho!!!


13 de julho de 2012

Um susto de morte!

Estes dias aconteceu uma coisa inédita, a minha mãe (que nunca sai de casa) quis levar a neta a andar nos carrosseis na festa da cidade. Fiquei de boca aberta, mas contente claro, a minha mãe não é muito destas coisas.

Antes de saírem pensei em dizer-lhe que tivesse cuidado etc e tal, mas achei que não havia necessidade, a minha mãe já é "medrosa" e exigente que chegue, claro que ia ter cuidado!!!

Quase 2 horas depois lá chegam a casa, abro-lhes a porta e vejo a minha mãe pálida, a tremer, com a lágrima no canto do olho...

- Ai me Deus que tu não sabes o que me aconteceu...

... e lá começa a contar:

- Chegamos lá e compramos bilhetes pó carrossel das crianças, como aquilo andava à roda e eu tinha medo de ficar ourada disse ao avó pra ir ao lado do cavalo onde ela ia pró caso dela querer sair...

- Depois ele lembrou-se ir prós carrinhos de choque...

Ó mãe os carrinhos de choque são perigosos!!! digo eu,

- Não teve mal que só lá andavam 2 carrinhos

e continua:

- Entretanto eu ví um comboio lá parado e como achei que ela ia gostar, fui tirar dois bilhetes. Sentei-me com ela e o moço que lá andava perguntou a idade dela, eu disse que tinha quase 3 anos e ele só me disse pra a agarrar bem... não entendi muito bem porquê, mas depois é que eu ví... ai meu Deus que eu pensei que ia morrer e matar a menina... aquilo não andava em plano como eu pensei, subia numas coisas de ferro que tinha atrás e depois descia com tanta, tanta força...
...eu ainda tentei dizer pra eles parar mas não consegui, só agarrei a menina como pude e fechei os olhos, mas ainda era pior de olhos fechados, só pensava que íamos morrer as duas... e começa a chorar...

A MÃE  ANDOU NA MONTANHA RUSSA??? como é que se meteu sem primeiro ver como é que aquilo funcionava????????

- Eu pensei que aquilo só andava em plano...

...ela já estava tão mal que eu nem falei mais nada...

E a menina???? Perguntei

- Ela ia agarrada ao ferro e ria-se à gargalhada... e quando aquilo parou começou a berrar que queria mais... eu nem força nas pernas tinha e ela queria mais, eu semelhante nunca ví na minha vida...

A criatura vinha tolhida... a minha mãe na montanha russa.... realmente!!!

... e mais uma vez tenho a prova de que a minha filha não tem a mínima noção do perigo :(

Ainda bem que nada de mal aconteceu, é por estas e por outras que uma mãe nunca pode estar descansada!!!




5 de julho de 2012

Há 6 meses atrás...

A Rainbow Mum escreveu no blog dela que o filhote andava um meloso de primeira, que a sufocava com tantos beijos e abraços.

Lembro-me que fiquei ca lagrimica no canto do olho ao ler o texto.

Como eu ansiava que a minha filha também me sufocasse com beijos e abraços...

... e ela disse-me que tinha a certeza que isso ia acontecer...

... e mais uma vez tinha toda a razão!!! :)

Já há uns tempitos que a minha piolha anda beijoqueira, mas ontem amigas, ontem quase me sufocou de beijos!

Quando a fui buscar à creche ela deu-me tantos, tantos, tantos beijos, agarrada à minha cabeça, que as pessoas que lá estavam até se começaram a rir, foi preciso eu dizer "já chega, já chega" porque nem respirar ela me deixava...

Que coisa mais maravilhosa!!!

A auxiliar da sala também me disse que quando a vai repreender por ter feito alguma asneira, ela, manhosa, começa logo a dizer que quer dar "beijo, beijo"...

3 de julho de 2012

Fascínios e obsessões


A primeira grande obsessão da minha filha foi (e ainda é) ver desenhos animados.
É o seu grande interesse, quando estão em questão desenhos animados ela ouve-nos sempre, fala connosco, coopera, rí, fica atenta, uma maravilha!
(ex: estes dias fomos ver o mar e ela mal chegou lá disse logo  "casa moooô" ou seja "é a casa do Mô" (que é um golfinho duns desenhos animados), provavelmente se não fossem os desenhos animados não lhe arrancávamos uma palavra).

Já teve fascínio (e ainda tem um bocado) por pedras, íamos pela estrada fora e ela não tirava os olhos do chão a ver se encontrava alguma pedrinha, chegou a ter uma caixa cheia delas, o brincar dela nessa altura era ver as pedrinhas a caírem no chão, voltar a mete-las dentro da caixa e despejá-las de novo...

Depois veio a água (ainda adora), uma poça, um tanque ou um chafariz era o delírio total... começava logo a ver o que podia atirar lá pra dentro... o tanque da minha sogra está repleto de "entulho" que ela atira lá pra dentro, é frutas, é paus, é folhas, é pedras...

Ela adora deixar coisas caírem no chão ou na água ou em outra coisa qualquer, não entendo porquê, ela parece que fica hipnotizada, se vir uma frincha, nem que seja um espaço entre duas cadeiras, lá vai ela ver o que pode deixar cair lá pelo meio...

Os objetos brilhantes também eram (e ainda são) perdição - as lúzes... os semáforos... ui o salto que ela dá da cadeira quando vê um semáforo, agora até diz as cores "emelho" ou "veeede" mas às vezes troca-as :)

Adora bolas e coisas redondas... e passar a mão em cobertores peludos...

Gostou sempre de cortar flores e de animais... e de jogos de encaixe...

Ultimamente anda obcecada com os transportes... primeiro só dizia "popós" ou "popós nanne" popó ou popó grande.

Fui-lhe dizendo que o tal chama-se "carrinha", outro "camião", outro "trator", "jipe" etc... agora vamos na estrada e é "caínha", "mião", "totor", "mota"... Lembro-me sempre do piolho da Rainbow Mum!


Porque é que estes meninos têm interesses tão semelhantes?!