Objectivo do Blog

Sou mãe de uma menina que nasceu em Dezembro de 2009, o meu maior tesouro!
A minha filha apresenta comportamentos um pouco diferentes do comum para a idade, compatíveis com a Perturbação do Espectro Autista.

Este blog tem como objectivo a troca de informações com pais que estejam em situação semelhante.
Juntos encontraremos mais respostas pras nossas dúvidas e poderemos obter uma ideia melhor da evolução esperada para cada caso. Participem!

31 de janeiro de 2013

Malditas dores de crescimento...

Se no passado tinha dúvidas agora já não tenho - são mesmo dores de crescimento!
A minha filha nunca dormiu bem e passou muitas noites a chorar de dores e eu de coração nas mãos sem saber o que fazer/pensar, felizmente agora já consegue dizer onde dói:
"doi pénas"
Há três noites que acorda a chorar e a queixar-se que lhe doem as pernas, torce-se toda, estira-se... tadica!
Tenho dado Ben-u-rom e tem ajudado.

É curioso que desde o outono passado que ela estagnou no crescimento, até tinha comentado com o meu marido que os outros meninos da turminha lhe estavam a passar a perna...
Está agora a dar o salto...
Já sei que daqui a pouco muita coisa vai deixar de lhe servir - acontece sempre isso!

Parece que o calor ajuda a passar a dor - vou experimentar enquanto massajo uma perna por uma botijazinha de água debaixo da outra.
Mais dicas?

29 de janeiro de 2013

Tudo é azul...

Ando há meses a tentar ensinar as cores à minha filha, mas tá complicado, não entendo, umas vezes parece que sabe, noutras é tudo azul...
Ainda ontem - ela queria mesmo comer os m&m's por isso ví que não sabia mesmo:
Com um m&m amarelo:
- de que cor é este?
ela - azul
- não Tatiana! este é da cor do sol, qual é a cor do sol?
ela - cor do sol
- O sol é amarelo!
ela - amaielo
Com um verde:
- e este, de que cor é este?
ela - azul
- não amor! este é cor da ervinha e das folhas
ela...
- é v....
ela - vede
Com um vermelho:
- e este, qual é a cor deste?
ela - azul
...
Com outro amarelo e outro verde continuou a responder azul...

As técnicas de intervenção precoce escreveram no relatório isto "No reconhecimento das cores, nomeou o azul e por associação indicou e nomeou o amarelo e o verde."

Porque é que às vezes sabe outras não? 
Porque é que não aprende duma vez?

Não sei que pense...

 

21 de janeiro de 2013

Últimas IV

Estava o pai agarrado a mim a tentar meter as mãos frias nas minha costas e eu aos berros a tentar fugir - um clima de brincadeira - nisto a piolha vira-se pra nós com ar de reprovação e diz:
- ESTÁ QUIETOS! OS DOIS!

...

Olha comprei um filme novo pra vermos! É a história duma menina chamada Mulan - vamos ver?
ela - SIM!!! VIVA, VIVA, VIVA!!!

A 15 minutos das 22h aviso-a:
- quando o filme acabar é pra ir prá cama! Já é muito tarde!
Responde-me a pulga:
- PÁRA CO ISSO MÃE! XIU!


19 de janeiro de 2013

Adivinha, adivinha!

- Hó, hó, hó...
- estou a ver uma coisa aqui debaixo da tua cama!
- o que é, o que é, vê lá se adivinhas?
ela - é uma buxa má!
- Não! Não tem bruxas más cá em casa!
- o que é, o que é?
ela - é um mau!
- Não amor, não tem maus aqui em casa!
- é uma coisa que tu gostas muito e que estava perdida!
ela - ...
- o que é que tu gostas, e os bebés gostam e tú perdeste???
ela - a peta!!!
- pois é, é a tua chupeta, ora espreita!
ela - eu não chega!
- pois não, ela está muito lá para trás - eu chego!
ela - tá suja... limpa mãe!

Meteu-a na boca com uma saudade imensa (eu tinha-lhes dado sumiço em Dezembro), andou 5 minutos com ela e depois veio-ma dar... acho que já desaprendeu a chupar na chupeta... ainda bem!

Mas o melhor foi sem dúvida ela me ter respondido, achei um espanto!

18 de janeiro de 2013

EEG

Dia 16 fomos repetir o Electroencefalograma, tal como da última vez tínhamos indicações para a deitar tarde e acordar cedo. Deixei-a acordada até à hora que lhe apeteceu e, tal como aquando do exame de potenciais evocados auditivos, só aterrou às 3 da manhã. Acordei-a às 8 e optei por ir nas calmas para o Porto, estava um dia horroroso...
O exame era só às 14h, andamos no shopping a fazer tempo, era a melhor maneira de a manter desperta, almoçamos e lá fomos para o hospital.
Tinha andado a dizer-lhe que tinha que fazer um exame, como o gato do Ruca, porque tinha uns bichinhos maus na cabeça e ela portou-se tão bem!!!
Não mexeu nos fios!
Os técnicos foram muito simpáticos, deram-nos tempo para que ela adormecesse naturalmente, pra mim foi um alívio - não queria nada que lhe dessem de novo medicação pra induzir o sono...

Quando acordou ficou calminha à espera que tirassem os fios e quando vínhamos no corredor virou-se pra mim e disse "bô ugiu?" (o avô fugiu?)
Eu disse que não - que ele estava à nossa espera lá fora. Quando ela o viu virou-se pra ele e disse:
- não tem bichinhos maus!
Foi fantástico!!!

Agora é aguardar os resultados, o técnico disse-me que lhe pareceu estar tudo bem...

Se calhar não vai acusar nada outra vez... nem sei o que era melhor... fico com tanto receio que ela tenha convulsões escondidas e estas estejam a tirar recursos ao cérebro...



17 de janeiro de 2013

Outra vez o sonho mau...

De manhã acordou bem disposta, ponho-a no pote, ela olha pra mim e diz "tebo um sonho mau"
- tiveste, hó que chatice! E como foi o sonho?
- xoi um sonho mau!


e mais não disse...


15 de janeiro de 2013

Mas que raio...

Sexta-feira quando fui buscar a piolha não a encontrei no infantário, a auxiliar pediu que desculpasse mas como estava sozinha e queria limpar deixou-a com as colegas da creche, não me incomodou minimamente porque ela adora rever a "sala dos bebés". Abri a porta da sala e ela estava entretida a brincar com os nenucos, quando me viu sorriu e disse que os bebés tinham fome, foi buscar o biberon e começou a fazer de conta que alimentava cada um deles, depois foi ao cesto do pão (de brincar) e colocou um pão à frente de cada boneco - acho que foi a primeira vez que a vi a fazer jogo de imitação tanto tempo e principalmente, com empenho.

Quando a vou buscar faço sempre as perguntas da praxe "então o que fizeste hoje?" "brincaste muito?" "fizeste desenhos?"... mas ela não costuma responder (à excepção das quintas-feiras que é dia de piscina - quando pergunto "nadaste muito" ela normalmente diz logo que nadou muito e até que "comeu" água).
Naquele dia quando perguntei se brincou muito ela vira-se pra mim e diz "choei muito muito muito"
- choraste muito??? Porquê???
- a X bateu na menina - diz-me ela...
- Bateu??? (saltou-me logo à cabeça que ela pudesse ter ferrado outra vez em algum coleguinha)
- olha o que fizeste prá X te bater? Fizeste alguma asneira?
ela nada...
- Diz lá fizeste alguma coisa má?
ela nada
- olha, onde bateu a X?
- no rabinho (respondeu ela)
- e porque foi? diz à mãe!
ela nada...
- ferraste nalgum menino?
ela - não!

No caminho disse-lhe que ia parar na casa da X e lhe ia perguntar porque é que ela lhe tinha batido. Ela vira-se pra mim, assim sem mais nem menos, e diz - xoi (foi) um sonho mau!
Fiquei mais confusa ainda...
Então a X não bateu, foi só um sonho mau? - perguntei
e ela - xoi um sonho mau!

Tive uma vontade imensa de parar em casa da X e perguntar se se tinha passado alguma coisa, mas não o fiz... vinha mesmo confusa, será que ela lhe deu uma palmadita??? será que foi um sonho mau??? uma criança de 3 anos já sabe o que é um sonho mau???

No sábado de manhã voltei-lhe a perguntar o que se tinha passado, mas ela não me respondeu.
Volta e meia olhava pra mim e dizia "tú és má!" também nunca tinha feito isso antes...
No domingo estávamos a brincar e ela volta a dizer "tú és má", começo a fingir que choro e a dizer eu não era má, que era muito amiga...
Ela fica a olhar pra mim, sem saber o que fazer e de repente abre a boca, aponta lá pra dentro e diz "olha, olha bichinhos da tosse"
(quando ela esteve com muita tosse e febre, disse-lhe que ela tinha bichinhos da tosse porque andava descalça e que tínhamos que ir ao sr. doutor pra ele os tirar, à custa desta artimanha, de procurar bichos da tosse, ela deixou o médico ver os ouvidos, a boca, auscultar e medir a tensão; e passou a aceitar melhor não andar descalça.

Mas que raio tem uma coisa a ver com a outra??? Porque é que se lembrou dizer aquilo???

Ontem quando a fui buscar voltou a dizer que chorou muito muito muito - que a X lhe tinha batido...

Hoje de manhã finalmente encontrei a X e perguntei se ela tinha feito alguma asneira e contei-lhe o que se tinha passado, ela disse-me que a Tatiana se tem portado bem e que ninguém lhe bateu, o máximo seria ralhar ou por de castigo...

Não percebo nada...

10 de janeiro de 2013

Diagnóstico errado?

Como já aqui referi, o relatório da avaliação que as técnicas de intervenção precoce fizeram à minha filha, deixou-me intrigada e cheia de dúvidas sobre o que realmente poderá estar a condicionar o normal desenvolvimento da minha piolha.


No relatório dizia que não conseguiram  aplicar nela a escala de Intensidade do Autismo Infantil
e mais coisas tais como:
"A Tatiana compreende o que lhe é dito ou pedido, conseguindo fazer tarefas simples ou “recados”. No entanto apresenta dificuldade em levar a cabo uma tarefa única, desinteressando-se da mesma e procurando outro ponto de interesse, concentrando aí a sua atenção.
...demonstra dificuldade em imitar as linhas verticais e horizontais, assim como não representa graficamente a figura humana.
Na interação com os pares, verificamos que a Tatiana reage com sorriso quando os pares se dirigem a ela ou com desagrado quando lhe retiram objetos ou interferem nas brincadeiras dela. No entanto demonstra dificuldade em interagir com os pares por sua iniciativa e demonstra não distinção entre os adultos conhecidos e não conhecidos, atuando com manifestações de carinho, em ambos os casos.
...apresenta dificuldade na linguagem expressiva, essencialmente em expor voluntariamente o que deseja, dialogando apenas com o seu interlocutor se este a interpela. Esta dificuldade da Tatiana interfere no desenvolvimento da sua linguagem, na aquisição de novos conhecimentos e sua aplicação, assim como em exprimir o que pensa e deseja. Verificamos ainda que a Tatiana consegue fazer o contacto visual com o seu interlocutor, sorrindo, abraçando e dando-lhe beijos quando lhe pedimos “um beijinho”, mesmo se for um desconhecido.
Relativamente ao conhecimento dos sentimentos dos outros, uma das educadoras fingiu que chorava ao seu lado, nesse momento verificamos que a Tatiana ficou a olhar para ela deixando o que estava a fazer e fez festinhas, pegando nas mãos que tapavam a cara, cedendo a educadora de imediato. Também outro episódio relevante, centrou-se no interesse da Tatiana em que uma educadora se sentasse ao pé dela para ver um livro que mostrava, página a página, dizendo “olha, olha…”. A educadora teve que ir embora e ela disse “não, não, olha, olha”, mas sem frustrar, ao que após explicação da educadora de que tinha que ir embora, a pedido, deu um beijo e desligou facilmente.
A grande preocupação observada pelas docentes de intervenção precoce aquando da avaliação da Tatiana, reside essencialmente nos períodos de ausência que a criança manifesta, sistematicamente, de 8 em 8 minutos, sensivelmente. Nestes momentos, a Tatiana pára o que está a fazer e fica de olhar fixo cerca de 3/4 segundos, retomando a tarefa de seguida."

Esta última parte, que até coloquei a negrito, não me sai da cabeça e hoje dou de caras com este vídeo partilhado no Facebook pela Dr. Marina - dona do Centro Médico e Terapêutico que a minha filha frequenta.
Vejam porque é muito importante e digam lá se não tenho motivos para andar com tantas dúvidas!


Quando a minha filha está "no mundo da lua" pode muito bem estar a ter uma convulsão cerebral...

8 de janeiro de 2013

À Conversa com...

... a nossa gata mais novinha!

Estava eu a passar a ferro e a piolha na sala a ver desenhos animados, nisto ouço:
- Não foge Kika eu ser muito amiga!
- ai vem mau, vamos, vamos...
- eu esconder! Esconde Kika!
- não tem medo, eu ajuda
- vamos, vou esconder
- haaaaaá mau caiu!
- Kika mau caiu!

Muito bom digam lá!

Foi a primeira vez que a ouvi falar tanto e por iniciativa dela.
Pena ter sido a gata a felizarda he he he, até fiquei com ciumes!
Que bom começo de ano!


A minha princesa com 36 meses

(3 anos)


Já fala muito mais e agora até se sai com pequenas frases como:
- ai, tá a doer
- cão tá fazeie baulho (fazer barulho)
- o pé está moado (molhado)
- lhec que nojo
Mas continua a referir-se a ela na terceira pessoa, ou seja, se perguntarmos como se chama ela responde “menina” e não diz por exemplo “ajuda-me”  ou “eu como” mas sim “ajuda a menina” ou “menina come”. Das poucas vezes que diz “eu”, erra nos verbos, que saem na 3ª pessoa -  “eu vai subir”, “eu fazeu doi-doi”.
Vê-se que tem imensa dificuldade em expressar-se, por vezes noto que o quer fazer, mas é como se as palavras não lhe viessem à mente.
Para a ajudar comecei a dizer-lhe as perguntas/respostas ao ouvido e ela repete-as às pessoas, coisa que antes não acontecia. Acho que este “método” a está a ajudar muito e ela está a aderir bem à minha iniciativa.

Continua hiperativa, só pára a ver desenhos animados (que continuam a ser o seu grande interesse).

Ainda não fala espontaneamente dos seus sentimentos nem vivencias, mas com alguma insistência já conseguimos que nos responda (como quando foi ao circo – que me respondeu que viu um palhaço e um leão).

Trabalhar com ela continua muito complicado porque não se mantem em tarefa tempo suficiente e demonstra muito pouco interesse nas atividades sejam elas quais forem (desenhos, pintura, colagens, puzzles, fotografias, jogos, livros etc) só gosta de coisas físicas - fazer-lhe cocegas, correr a apanhá-la, saltar abaixo de muros, trepar coisas, isso quer fica imenso tempo a fazer...

Continua a parecer surda muitas vezes, mas isso está a melhorar pois já nos responde mais vezes.
Já não se perde tanto quando lhe pedimos que nos faça algum favor ex: vai à gaveta buscar a trela da Luna.

Está mais interessada nos coleguinhas, principalmente se andarem todos a correr dum lado pró outro, mas quase não fala com eles e se lhe perguntar o nome dos amiguinhos da turma ela raramente diz, tenho que insistir mesmo muito e a maior parte das vezes diz só “menino/a”.
Ainda lhe falta muito no que respeita à interação com eles, ela é capaz de chegar ao pé dum colega e sem mais nem menos começar a fazer-lhe cocegas, acho que ela faz o que gostava que eles lhe fizessem... mas os outros não percebem e acabam por não entrar na brincadeira.

É muito teimosa e reage mal quando é contrariada – começa a puxar o vômito e se não lhe desviamos a atenção pra outras coisas vomita mesmo.
Quando quer alguma coisa é extremamente impaciente e é capaz de ficar a repetir o que quer até lhe darmos.
Desde que começou a perguntar “onde vamos?” noto que faz a pergunta mesmo depois de já saber a resposta.
Está mais observadora e estes dias depois de lhe dar água disse-me “obigada”.

Apesar de se manterem algumas coisas menos boas a verdade é que os últimos 6 meses de 2012 foram realmente de grande evolução, só espero que 2013 seja igual, não peço mais nada!