Objectivo do Blog

Sou mãe de uma menina que nasceu em Dezembro de 2009, o meu maior tesouro!
A minha filha apresenta comportamentos um pouco diferentes do comum para a idade, compatíveis com a Perturbação do Espectro Autista.

Este blog tem como objectivo a troca de informações com pais que estejam em situação semelhante.
Juntos encontraremos mais respostas pras nossas dúvidas e poderemos obter uma ideia melhor da evolução esperada para cada caso. Participem!

30 de abril de 2012

Custa muito...


Como já algumas vezes referi, a creche da minha filha (IPSS)  tem educadoras excepcionais.
Mensalmente elas organizam  uma atividade extra para pais e filhos a realizar num fim de semana. Até agora as atividades foram sempre efetuadas em conjunto (salinha de 1 ano + salinha dos 2 anos), mas este sábado, pela primeira vez, foi uma salinha de cada vez.
Desta feita o convite era para uma aulinha de ginástica numa academia do concelho e como sempre não faltei...
Só que desta vez saí de lá completamente de rastos... sem os meninos da sala de 1 ano para “camuflar”, as dificuldades da minha filha saltaram tanto à vista...

Na hora marcada lá estava eu com a piolha, descemos as escadas e entramos na salinha, quando ela viu os coleguinhas começou aos prantos a querer vir embora a todo o custo, 10 minutos bastaram pra eu já estar a suar em bica, de andar com ela a espolinhar-se no meu colo e a tentar fugir sala fora. Decidi afastar-me um pouco para a tentar acalmar, quando me apercebi que já tinham chegado todos voltei à salinha, não queria porque não queria ficar lá.
Ví que lá tinha daqueles tubos em tecido que dão prás crianças passarem por dentro e sacos de bolas e comecei a tentar distraí-la com isso, lá consegui captar a atenção dela, achou muita piada a estar dentro do tubo, eu atirava bolas lá para dentro, ela atirava-as de volta para fora e assim sucessivamente, acabou por se divertir...
Dos 14 meninos da salinha da minha filha, compareceram 11 e entretanto chegou o professor, achei-o extraordinário, deviam ver a capacidade que ele tinha de captar a atenção dos pequenotes, foi espetacular!
Conseguiu que 11 crianças de 2 anos o ouvissem e participassem muito bem em todos os exercicios que eram propostos.
Tentei vezes sem conta que a minha filha se integrasse, se interessasse, ouvisse, tudo em vão... um dos pais, e que (acho) é o único que sabe da suspeita de autismo, tentou várias vezes que ela se envolve-se nas brincadeiras, mas nada...
O professor olhou pra mim algumas vezes, devia estar a pensar “a gaja está alí ca miúda, a mexer no material, em vez de vir pró pé de nós???”
Alguns país também deviam estar a pensar “aquela deixa a filha fazer o que quer”...
A determinada altura ela viu os amiguinhos a saltarem numa lona de salto e quis saltar também, fui com ela prá fila, fartei-me de lhe dizer que tinha que esperar um bocadinho, mas ela estava tão excitada a ver os meninos saltarem que nem me ouvia, debatia-se para eu a largar e algumas vezes deixaram-me mesmo passar à frente tal era a cena...
Saí de lá com vontade de chorar...
Apesar de tudo não tenciono deixar de participar, custe o que custar, porque acho que estas actividades promovem experiencias novas e acima de tudo o convívio, e ela precisa muito, muito de ver que o mundo não é só ela e nós...


6 comentários:

  1. Que bom terem possibilidade em participar nessas actividades extras! Entendo bem esse sentimento... Este fim de semana fomos a um centro comercial, o meu filho ficou excitadíssimo! Não consegui ver de tennis porque ele fez uma birra/choradeira e só se acalmou quando começou a tirar caixas das prateleiras... entre outras como querer andar em todos os carrinhos de moedas para os putos e não sair, querer todos os balões para ele e mexer e tirar as roupas dos cabides em todas as lojas que entrámos, foi um stress. Numa loja fez tal choradeira só porque eu queria experimentar-lhe um chapéu que a senhora da loja comentou: "parecia que lhe estava a bater!" Ficou obcecado com uns carrinhos que lá estavam e tb com o logotipo gigante da C&A! Enfim, fiquei de rastos. Mas penso não desistir de frequentar os sitios e proporcionar novas experiências... ele adorou fazer xixi nas sanitas pequeninas, ficou tão contente!!
    Bjs
    Catarina

    ResponderEliminar
  2. O que vos posso dizer é que os vossos filhos são muito pequeninos ainda... E que as coisas vão melhorar e muito! O meu com 2 anos era exactamente assim e se hoje com 4 não está ainda ao nível dos outros meninos da idade nele em algumas coisas, já participa muito mais. Neste momento dizem-me no infantário que faz tudo o que os outros fazem, na aula de ginástica, na mesa de actividades...O ano passado no Natal subiu ao palco com os meninos para a canção (apesar de ter ficado calado, ficou sossegadinho... no ano anterior nunca na vida isso seria possível e este ano acredito que cante com os outros!). É preciso respeitar que os nossos meninos crescem a um ritmo diferente mas que hão-de lá chegar sim. Precisamos é desdramatizar as coisas e respeitar as também um pouco o que eles querem fazer. No caso do meu deixei de insistir que ele fizesse algumas coisas... como por exemplo nas festas pintar a cara. Não quer, não gosta, paciência... Quem diz isto diz outras coisas como andar de carrosel que se recusa. Destesta por exemplo parques de diversão. Mas adora andar de transportes por exemplo, de ir ao Zoo e ver os animais, de brincar no parquinho infantil...Temos de facto de tentar fazer as coisas que lhe dão prazer e aos poucos eles vão começando a ter curiosidade de experimentar outras que não faziam antes.

    Quanto aos outros, por vezes achamos que estão a observarmo-nos. Mas sinceramente, acho que qd eles têm 2 anos ninguém liga e acha que é normal certos comportamentos. Se não acharem azar... Eu começo a viver bem com isso e o meu já tem 4 o que quer dizer que a permissividade é cada vez menor. Aliás penso por vezes nisso, que daqui a 1 ou 2 anos a tolerância das pessoas para alguns comportamentos vai diminuir. Mas tb espero que o seu comportamento melhore até lá.

    Temos que descontrair um pouco, deixar de pensarmos que eles são diferentes, parar de fazer comparações... Por vezes penso que se fosse há uns anos e não nos tivessem feito qq diagnóstico provavelmente seriam apenas uns putos mais difíceis que com o tempo iriam melhorar. E nós não olhávamos para eles de outra forma, não nos desgastávamos piorando ainda mais a situação...

    E fazem muito bem em não deixar de frequentar os sítios. Eu, apesar de o meu filho ter passado tb por fases mais difíceis nunca deixei de ir a restaurantes, centros comerciais, viagens, tudo com ele. E talvez por isso hoje ele consiga estar bem nesses sítios. Se alguém olhar ou criticar simples, ignorem. É o que se faz aos ignorantes :)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, pelas palavras amigas!
      Bjs
      Catarina

      Eliminar
  3. Obrigada pelas tuas palavras rainbow, como sempre consegues dar-me esperança e mais tranquilidade!
    Obrigada de coração

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Helena
    A tua filhota está ainda numa idade em que muitos comportamentos são permitidos e até normais em crianças tão pequenas. Quantas crianças fazem birras porque não querem fazer certas actividades, quantas choram porque não gostam de estar em sitios estranhos, quantas fazem birras porque as mães não lhes fazem as vontades? O meu filho também não é uma criança fácil e por isso o que tento fazer são programas que ele gosta e que se sinta bem. Claro que por vezes são dificeis de conciliar e como tal lá temos algumas birras. Nesses momentos o que faço é distrair a atenção dele com outras coisas, direccioná-o para outra actividade. O mais importante de tudo é não deixares que os comentários ou olhares das pessoas te impeçam de fazer a tua vida normal. E como disse a raibow á medida que eles vão crescendo os seus comportamentos vão se alterando e melhorando.
    Na sala do Guilherme temos um coleguinha com autismo de lato funcionamento, se o visses ficavas impressionada com ele. Eu que estou mais ou menos dentro destes temas fico impressionadissima positivamente com o comportamento dele, o relacionamento com os colegas e os trabalhos que desenvolve em sala. É um espectáculo o miúdo e entre eles (amiguinhos) não existem diferenças e sabes porquê, porque desde sempre que estão habituados ao Guilherme e ao Rodrigo, 2 meninos especiais que eles sabem que são diferentes, mas que isso em nada lhes faz diferença.

    Um beijinho e continua assim....a proporcionar à tua menina todas as experiências que puderes.

    ResponderEliminar