Objectivo do Blog

Sou mãe de uma menina que nasceu em Dezembro de 2009, o meu maior tesouro!
A minha filha apresenta comportamentos um pouco diferentes do comum para a idade, compatíveis com a Perturbação do Espectro Autista.

Este blog tem como objectivo a troca de informações com pais que estejam em situação semelhante.
Juntos encontraremos mais respostas pras nossas dúvidas e poderemos obter uma ideia melhor da evolução esperada para cada caso. Participem!

26 de junho de 2012

Consulta e Avaliação de Desenvolvimento

No passado dia 19 fomos ao H.S.João para consulta com a psicóloga Dr. Maria, e também a nova consulta com a Dr. Alda Mira Coelho.

Entramos e a doutora Maria colocou-lhe à frente alguns brinquedos pra ver o que ela fazia, tinha: pratos, copos, talheres, um boneco, vários quadrados com letras e números e três bolinhas coloridas.

Ela observou uns instantes e pegou no montinho dos pratos (4) e colocou-os em fila na mesa, de seguida pegou nos quadrados e colocou um em cada prato, depois começou a por uma bolinha em cada prato, mas só tinha três bolinhas, ou seja um prato ficava sem bolinha... olhou uns instantes para os brinquedos, talvez a ver se tinha mais alguma bolinha, e pediu chão, foi tentar abrir a porta do consultório pra se ir embora. Como não conseguia abrir veio ao pé de mim e disse “mão”, disse-lhe que não, que ainda não podíamos ir, e ela “embola, embola” enquanto me puxava pela mão...

Entretanto a Dr. Maria começou a fazer bolas de sabão e ela ficou muito entusiasmada, tentava rebentá-las e soprá-las. Com alguma insistência acabou por olhar a médica nos olhos algumas vezes e até pediu “mais...bolas”. Quando a doutora parava ela dirigia-se logo para a porta.

Depois foi a vez do balão, a doutora encheu-o, contou até 3 e largou-o de seguida, ela achou tanta piada ao ver o balão fugir, depois a doutora encheu-o novamente e contou até 3 lentamente, à terceira a piolha já disse “dois, tês”, à quarta mal a doutora se preparava pra contar já ela respondia “tés”. Entretanto experimentou alguns brinquedos que não lhe despertaram interesse e também algumas texturas, deu-lhe pra mão uma bola de plasticina muito mole, ao pegar os dedos dela entraram na plastina e ela ficou com uma expressão de repúdio enorme e começou a puxar o vomito.

A doutora falou-nos da sensibilidade tátil e que podíamos criar uma brincadeira em casa que consiste em fazer caixinhas surpresa – enchemos uma caixa com arroz, ou massas, ou farinha, ou outras coisas e escondemos no meio um coisa que ela goste e ela tem que meter a mão pra tirar a coisa...


Depois fomos à consulta da Dr. Alda, a piolha ficou chateada pois pensou que já íamos pra casa, sentou-se lá no chão como da última vez, mas depois lá arrebitou um pouco, andou pra lá a mexer nos botões da ventoinha e até disse algumas palavritas.

Falamos das terapias, que já tínhamos encontrado uma clínica que gostamos e que inclusive temos ido lá duas vezes por semana, apenas prá piolha se ambientar ao espaço e às terapeutas e que terapias a sério só vai começar em Setembro.

A doutora Alda preencheu-me os impressos pra entregar na segurança social e convidou-me para assistir a uma palestra sobre PEA que vai decorrer no dia 10 de Julho lá no H.S.João (precisamente no dia da consulta de neurologia) e também me perguntou se gostaria de colaborar para um projeto de investigação na área das PEA, que visa encontrar algumas respostas relativamente a factores de prognóstico que permitam delinear melhor as estratégias de intervenção e a evolução esperada para cada caso.

E foi assim, correu melhor do que esperava!

Sem comentários:

Enviar um comentário