Objectivo do Blog

Sou mãe de uma menina que nasceu em Dezembro de 2009, o meu maior tesouro!
A minha filha apresenta comportamentos um pouco diferentes do comum para a idade, compatíveis com a Perturbação do Espectro Autista.

Este blog tem como objectivo a troca de informações com pais que estejam em situação semelhante.
Juntos encontraremos mais respostas pras nossas dúvidas e poderemos obter uma ideia melhor da evolução esperada para cada caso. Participem!

26 de maio de 2014

Raios partam a televisão...


Estava eu a montar uma estante, quando a certa altura me cai uma das prateleiras na cabeça...
Agarrada à cabeça, toda abalada, olho prá piolha, que assistiu à cena, e vejo que continua impávida e serena a ver desenhos animados.
Ai, ai a minha cabeça...ai... ai...


OLHA LÁ, TU NÃO TE PREOCUPAS COM A MÃE???
- Agora não posso, tou a ver televisão!!!
Ai é... e a televisão é mais importante que eu???
- é, porque está a dar macaquinhos!!!

grrrrrrrrr

2 comentários:

  1. Oi Helena, meu nome é Silvana e tenho um filho de 3 anos e meio que foi diagnosticado recentemente no espectro. Fiquei impressionada como o caso da Tatiana, em muitos pontos, se parece com o dele, no entanto, ele ainda está no meio do caminho. Ele andou com 10 meses, mas não engatinhou. Sempre comeu muito mas não gosta de comida pastosa. Não tinha noção de perigo, parecia insensível à dor e era muito hiperativo, ir ao shopping com ele era uma aventura. No entanto, o caso dele passou por muito tempo despercebido pois ele sempre olhou nos olhos, beijava e abraçava muito, não tinha e não tem problemas com lugares lotados e barulhentos. Eu via, por vezes algo estranho em seu olhar, uma mexida rápida nos olhos, mas logo desaparecia e assim ficava por dias, mas no fundo sabia que isso iria se revelar algo maior...era só questão de tempo. Ele começou a falar na época certa, no entanto, após os dois anos, por mais que o incentivasse, seu vocabulário era pequeno e ele não desenvolveu o discurso e ainda tinha a ecolalia, que somente depois descobri que era sintoma de autismo...No entanto, ele sempre foi muito independente, fazia questão de fazer quase tudo sozinho. Não brincava com as crianças, mas gostava de vê-las por perto e quando iam embora também queria ir. Não gostava de brinquedos convencionais, preferia garrafas pet, caixas, vassouras...Tinha e tem fixação por números, e sabe inclusive escrevê-los, tendo aprendido sozinho, no entanto, só falou o próprio nome recentemente. Enfim, as semelhanças são muitas e por isso fiquei esperançosa quando vi seu blog. Atualmente, com muiiiittto estímulo e terapias ele está bem melhor, quando vê uma criança a acompanha com o olhar e por muitas vezes a procura para brincar, quase sempre para brincadeiras de correr...Seu vocabulário melhorou e a ecolalia diminuiu bastante, mas ainda está lá, principalmente quando está com sono ou doente ou quando simplesmente não presta a atenção no que estou falando. Quanto ao que você falou do sono, é bem nítido para nós de que quando ele esta com muito sono aparecem algumas estereotipias (ele quase não as tem) e as fixações aumentam. Enfim, poderia escrever várias outras semelhanças, mas a que eu mais gostaria de escrever ainda não aconteceu...eu não ver mais sinais do autismo nele...Mas ainda vou ver...Parabéns pela iniciativa do blog e pela filha esperta que tens, que ela continue assim, melhorando sempre...bjs. Silvana

    ResponderEliminar
  2. Olá Silvana, que semelhanças realmente!!!
    Fico muitíssimo feliz que o blog tenha ajudado, é reconfortante sabermos que não estamos sós e que a recuperação não é uma miragem :)
    Com certeza que o teu vai evoluir super bem como a minha filha ;)

    Um beijinho grande
    Helena

    ResponderEliminar