Objectivo do Blog

Sou mãe de uma menina que nasceu em Dezembro de 2009, o meu maior tesouro!
A minha filha apresenta comportamentos um pouco diferentes do comum para a idade, compatíveis com a Perturbação do Espectro Autista.

Este blog tem como objectivo a troca de informações com pais que estejam em situação semelhante.
Juntos encontraremos mais respostas pras nossas dúvidas e poderemos obter uma ideia melhor da evolução esperada para cada caso. Participem!

13 de fevereiro de 2014

Pura felicidade...

é ler isto:


7 comentários:

  1. Só gostava de saber porque não tenho nenhum relatório destes da minha pequena, tenho o PIIP da educadora do ensino especial que é a coisa mais básica e as características que tem da minha pequena são as que eu informei na avaliação e da APPDA tenho também um piip com as coisas que vão trabalhar com ela no período de 3meses,depois vêm se altera ou se continua. Da médica de desenvolvimento nem quero falar para não me estragar o dia.... Já ando com ela há 1ano e tirando ir lá eu e pedir os exames para a minha menina(porque sim a médica não mandou por iniciativa própria fazer nenhum e ainda escreveu no pedido,"exames a realizar por pedido expresso dos pais") e nunca em nenhuma consulta esteve realmente com a minha filha,sinceramente nem sei porque é que ela tem de ir,a médica nunca lhe dirigiu a palavra ou tentou interagir com ela..... Não acho isso correcto. Mas fico muito mas muito contente pela Tati,bjinhos grandes

    ResponderEliminar
  2. Olá Silvia, eu realmente fui abençoada nas pessoas que encontrei nesta "caminhada", a começar pela educadora, que foi e é a pessoa mais relevante neste processo, foi com ela que tudo começou, ela é uma pessoa que ama a profissão, é exigente com as crianças dela, ensina-os a lidar com as frustrações, com a pressão psicológica, prepara-os realmente para o futuro, ela diz que fazer muitos trabalhinhos prós pais verem que as crianças "trabalham" não é o método dela, pra ela o importante é as crianças serem educadas, respeitarem os adultos, saberem estar, saberem comer, serem autonomas etc etc... e digo-te, isso nota-se imenso nas crianças. Depois a Pedopsiquiatra, sempre se mostrou muito interessada, interage bastante com ela quando vamos à consulta, sempre fez tudo para que ela tivesse acesso às terapias, sempre pergunta se está tudo ok, quantos dias tem terapias,quantas horas etc etc... dá sugestões de trabalho pra fazermos com ela em casa etc etc
    Este relatório e outros que eu já coloquei aqui, (além dos exames) foram todos pedidos pela pedopsiquiatra. E a Tatiana também chegou a fazer testes no H. S. João com uma Psicologa, a D. Maria.
    A professora de ensino especial é também muito profissional, os relatórios a cada período lectivo são extensos e mencionam pontinho por pontinho cada evolução, cada dificuldade, tudo!
    (até acho que não era preciso tanta coisa lol)

    Como vez Silvia tive muita sorte em todos os aspectos, só é de lamentar, muito, que não tenham todos a mesma atenção...
    Olha Sílvia, bate o pé se for preciso amiga!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Olá! Que bom! Fico contente por a Tati estar tão desenvolvida e estar tudo a correr tão bem! Com o meu está tudo a andar mas ainda noto algumas dificuldades (mas sou só eu que noto...).
    Penso que mais importante do que os relatórios é termos confiança na equipa que os acompanha. O meu não tem tantas avaliações, com escalas, às vezes também penso nisso e gostava de saber mais sobre as suas capacidades ou dificuldades, mas na verdade também se perde muito tempo, às vezes precioso, em avaliações que no fim são instrumentos de avaliação que avaliam as capacidades em contextos determinados, pre-establecidos e não em contextos naturais... Ás vezes os resultados podem não ser os mais corretos, ou seja a criança não brinca com aquela boneca, não faz jogo simbólico, mas até faz com outras ou noutras situações (não sei se me faço entender...). Ma, Silvia,s acho que se não estás satisfeita com a equipa deves procurar outras opções, como uma consulta a outra médica por exemplo. Muitosbeijinhos

    ResponderEliminar
  4. Olha é o que mais tenho feito amiga, a começar pelo infantário que sinceramente está a ser uma desgraça, em Setembro a Leonor vai para uma pré-pública onde depois vai seguir a primária,aí sim gostei muito da educadora,mas também só na altura é que vou ter a certeza. Mas onde ela está parece que está numa ama porque deve ser só isso que fazem,nem estou a falar de trabalhos que nem isso existe,mas não há interesse pela minha menina,estou sempre em reuniões a reclamar e ainda me dizem"sabe mãe é difícil,o caso da Leonor é complicado" complicado!!! A Leonor come sozinha,vai sozinha há casa de banho,pede o que quer e mesmo assim é dificil... Mas fogo sou eu que enho de dar todas as informações,vou a uma reunião e eu é que digo para a porem a comer sozinha que ainda nem se tinham apercebido disso( claro que se lhe davam há boca ela nem reclamava) agora já come sozinha,foi por magia e ela derepente já sabe, em vez de a fazerem pedir as coisas ela puxava pela mão e elas faziam tudo. Depois outras educadoras vêm-na fora do infantário e dizem que ela parece outra criança....por favor.... Eu sei que a minha filha tem dificuldades e depois faz birras em casa ( não são grandes mas tem feito algumas) porque em casa é obrigada a fazer as coisas, se quer algo tem de falar e pedir, a mãe obriga-a a ser autónoma e a ficar sentada a fazer actividades. Ela parece uma coisa comnosco e com as terapeutas e na escolinha o que me dizem é totalmente diferente. Sinto-me mesmo frustrada porque para eles se ela ficar num canto e não chatear é o ideal,por isso é que em Setembro vai para o público. Ela está no privado e pago uma fortuna para quê. Infelizmente nesse aspecto não tive muita sorte e já agora a Leonor não em pedopsiquiatra,só médica de desenvolvimento. Acho que tenho de ver se consigo alguma coisa no hospital porque estou mesmo saturada desta situação. Bjinhos grandes amiga e obrigada pelas palavras.bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foge... isso realmente é muito mau :(
      Ainda por cima a pagares como pagas...
      A educadora da minha filha ralha-me sempre se vê eu a fazer coisas à minha filha que ela pode fazer sozinha... quando ela soube que eu em casa lhe dava a sopa na boca ui ui nem te digo o que ouvi :)
      A minha filha quando está à mesa parece uma senhora - se faz favor praqui obrigada práli e pede licença para sair da mesa etc, não fui eu que ensinei nada...
      A educadora dificulta-lhes a vida para eles se saberem desenrascar, olha... é mesmo uma pessoa fantástica...
      Estes dias disse-me que a Tatiana vomitou na hora do almoço porque ela insistiu que comesse os legumes, se fosse outra pessoa queria lá saber (e nem me tinha dito)...
      De vez em quando eu sondo a minha filha sobre a educadora e ela diz sempre que gosta muito dela, (alias vejo que todas as crianças a adoram). A última vez que a sondei ela voltou a dizer que ela era muito amiga e eu disse-lhe "mas é um bocado mázinha não é" e ela respondeu-me "não, é exigente" olha quase me caia o queixo - a minha piolha a dizer "exigente" achei o máximo!!!

      Olha amiga vais pôr a tua filha na primaria com a idade ou vais atrasar a entrada?
      pergunto-te isso porque eu, mesmo com a boa evolução da minha, tenciono atrasar a entrada dela na primária 1 ano. Acho que vai ser bom entrar com mais maturidade. Se calhar isso era bom para a tua menina também...

      Eliminar
    2. Olá Helena.
      Estou maravilhada e inspirada pela evolução da Tati.
      O Carlos tem dado os seus passinhos, também. Apesar de ainda não falar, já emite muitos sons.
      Já agora, Sílvia, não sei onde está, mas se estiver em Lisboa aconselho vivamente a UPI, na Encarnação. Estamos a ser acompanhados pelo Dr. Pedro Caldeira (floortime). O serviço pertence à Estefânia e por isso é gratuito.
      Percebo bem essa frustração com a escola. O Carlos também não tinha qualquer acompanhamento e apercebi-me que ficava bastante tempo sozinho...às vezes até no "canteiro" a brincar :( Enfim. Agora está num programa intensivo na AAMA (desde Janeiro). Notamos que está mais sociável, brinca verdadeiramente com os brinquedos, entende mais o que lhe dizemos...enfim, parece-nos mais conectado. É uma batalha, constante! Não podemos baixar os braços :) Força!

      Eliminar
    3. Olá Ana Paula fico feliz por saber que o Carlos está cada vez melhor :)
      Acredito que daqui pra frente as conquistas realmente de vejam, e muito, os programas intensivos são sempre os que mais efeitos produzem.


      ps: a Sílvia é do Norte, moramos perto, até já nos conhecemos pessoalmente :)

      Eliminar